O 6G está a caminho: MediaTek já começou a desenvolver a nova geração

Para tomar a dianteira no mercado de redes móveis, a empresa se juntou ao centro de pesquisa e desenvolvimento da Nokia na Finlândia.

Ainda que o 5G tenha acabado de entrar na fase final de implementação na maioria dos países, já começamos a ver uma corrida entre as empresas na busca pelo desenvolvimento da próxima geração, o 6G.

Esse é o caso da taiwanesa MediaTek, que desenvolve processadores. Enquanto vê os resultados de sua receita subirem com a expressiva procura por chips 5G, a companhia aproveita para sair na frente dos concorrentes ao anunciar que deu início ao desenvolvimento da tecnologia 6G.

 

Parceria com a Nokia

tecnologia 6G
Foto: NextPit

 

Com o intuito de alavancar o trabalho, a Mediatek decidiu unir forças à Nokia. Assim, as empresas estão atuando em conjunto em um centro de pesquisa e desenvolvimento na Finlândia.

A escolha do país, no entanto, não foi por acaso. Além de ser terra natal da gigante das telecomunicações, é um dos poucos lugares no mundo que já começaram os processos de estudo da conectividade 6G.

Apesar de projetos nesse sentido ainda estarem engatinhando, tanto o governo finlandês quanto as universidades locais estão otimistas com seu desempenho e esperam iniciar as vendas da internet 6G em 2030.

Como resultado, a parceria entre as duas companhias pode possibilitar que a MediaTek 6G encare de frente companhias como Samsung, Huawei e Xiaomi.

Vale lembrar que Nokia e MediaTek já haviam se juntado anteriormente: de 2017 a 2019, elas foram pioneiras na primeira leva de aparelhos 5G.

 

Conexão 6G

 

Outras empresas também já anunciaram que estão de olho no desenvolvimento da rede 6G. A Samsung, por exemplo, disse que planeja oferecer uma velocidade 50 vezes mais rápida que a geração 5G a partir de 2028.

As chinesas Xiaomi e Huawei também já estão pensando no desenvolvimento da nova tecnologia para competir com a Mediatek 6G.

 

Internet 5G no Brasil

 

Para o Brasil, a rede 6G é um sonho muito distante. Isso porque o país ainda está dando os primeiros passos na tecnologia 5G. Por enquanto, apenas duas empresas passam a disponibilizar o serviço em julho – Claro e Vivo. Já a Tim entrega o sinal a partir de setembro.

Este mês, o 5G será ativado em alguns bairros de oito capitais, entre elas São Paulo e Rio de Janeiro. Entretanto, o acesso será limitado, visto que apenas um aparelho de celular é compatível com a quinta geração.

Outro problema durante esta fase inicial é que as operadoras vão oferecer o sinal usando um recurso chamado DSS (do inglês Compartilhamento Dinâmico de Espectro), que compartilha frequências da rede 4G.

A expectativa é que a conexão do 5G seja intensificada após o leilão de frequências da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que só deve ser realizada em 2021. Com isso, o sinal poderá trafegar por conta própria.

- continue lendo -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes