Startup cria plataforma para pequenos lojistas

Plataforma Squid Fácil conecta fornecedores a vendedores, possibilitando ao varejista independente adquirir produtos de acordo com a demanda.

São Paulo – Para simplificar a gestão de pequenos comerciantes virtuais e permitir a eles reduzir custos com logística, a startup Squid Fácil criou uma plataforma que conecta fornecedores e vendedores. Assim, esses lojistas podem vender produtos sem a necessidade de mantê-los em estoque físico.

A ferramenta oferece para os vendedores uma base de dados com informações em tempo real sobre o estoque dos fornecedores conectados ao sistema. O comerciante escolhe os produtos que gostaria de vender na sua loja e, conforme acontecem as vendas, a plataforma consolida os pedidos e os envia aos fornecedores. Após aprovação da compra, a mercadoria é despachada pela startup.

A solução surgiu de uma dificuldade encontrada no passado por César Tejon, fundador da Squid Fácil. Ao montar uma loja virtual, ele percebeu que a falta de integração do estoque dos fornecedores com o seu sistema de vendas dificultava os negócios. “Eu vendia produtos que muitas vezes os fornecedores já não possuíam mais em estoque, o que me obrigava a cancelar diversas vendas”, conta.

Para criar a empresa, com sede em São Paulo e um centro de distribuição em Sorocaba, Tejon levantou R$ 220 mil em investimentos, entre recursos próprios e aportes do governo federal – por meio do programa StartUp Brasil – e da aceleradora Aceleratech. A plataforma tem hoje pouco mais de mil usuários cadastrados, 150 deles ativos. Segundo Tejon, cada loja faz, em média, 20 pedidos por mês.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A partir deste ano, Tejon planeja começar a cobrar uma taxa mínima de R$ 2, que será decrescente quanto mais produtos o lojista vender, para arcar com os custos de embalo e despacho ao correio. Segundo o empreendedor, o valor é suficiente para cobrir a despesa, uma vez que os lojistas vendem os produtos com o frete a cargo do consumidor.

plataformaPlataforma

Grande parte dos vendedores conectados ao sistema atua no Mercado Livre. Tejon acredita que os pequenos e médios comerciantes se beneficiem do sistema por poderem comprar apenas produtos sob demanda. “Esses lojistas enfrentam grande dificuldade ao comprarem direto do fabricante. Ou ele faz a compra em grande quantidade [para conseguir descontos] ou em pequena, porém por um preço mais elevado. Dos dois modos, o comerciante que não tem dinheiro para investir e pouca clientela sai prejudicado”, diz.

Para Tejon, a plataforma virtual também pode ser oportuna até para grandes lojistas que precisem em algum momento repor o estoque com urgência ou que queiram ampliar o leque dos produtos oferecidos sem fazer compra de estoque adicional.

Na opinião dele, o modelo de negócio também é vantajoso para o fornecedor, uma vez que a grande quantidade de pedidos gera volume para a fábrica e atrai novos clientes.

“Além de beneficiar o fabricante, conseguimos reduzir o preço para o lojista e, consequentemente, para o consumidor final”, afirma.

Estão conectados à plataforma 13 fornecedores, entre eles a Multilaser, fabricante nacional do segmento de eletrônicos e informática, Samsung, LG, Atrio e MultiKids Baby. Para este ano, a expectativa é incluir na plataforma fornecedores de cosméticos e outros segmentos.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes