Marcos Mion fala sobre crises no casamento de 15 anos

Apresentador revelou que ele e Suzana Gullo passaram “por todas as crises” e que têm um acordo de permanecerem juntos.

Marcos Mion deu uma entrevista para o canal do YouTube da Astrid Fontenelle. Um dos assuntos abordados foi seu casamento de 15 anos com Suzana Gullo. O apresentador de A Fazenda 12 revelou que os dois passaram “por todas as crises”, mas que têm um acordo de sempre permanecerem juntos. “O que a gente passou como casal nos deu uma outra visão um do outro. A gente tem um encaixe hoje muito bonito. Eu sinto que ele hoje é inquebrável, aconteça o que acontecer.”

O que Marcos Mion falou sobre as crises no casamento?

Na conversa com Astrid Fontenelle, Marcon Mion disse que, no início da quarentena, o casal não teve brigas, foi uma oportunidade de se conectar ainda mais. “Parece que a gente estava numa saudade tão grande, pela loucura que é a minha vida. A gente se redescobriu de uma forma muito bonita. Aí depois de um tempo, obviamente, vieram as brigas e as tretas para todo mundo.”

Eles têm um combinado, de que não vão se separar, e sim resolver tudo que surgir pelo caminho. Mas já chegaram ao ponto de sair de casa, em outras épocas, o que não ocorrerá mais.  “Já tivemos todas as crises. Tem crise dos dois anos? Tivemos. Crise dos quatro? Tivemos. Crise da Lua? Tivemos. Tivemos todas. Mas a gente sempre optou pelo amor. A gente sempre optou à noite por continuar junto.”

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Os momentos complicados que compartilharam são vistos por Mion como presentes da vida, já que os ajudaram a atingir a maturidade. Se tivessem desistido, não teriam chegado ao ano 15, que “foi quando parece que tudo se encaixou”.

 

Apresentador falou sobre os cuidados com a família

Marcos Mion também falou sobre os aprendizados sobre si mesmo durante a quarentena. “Eu me vi como um verdadeiro guardião. Percebi que sou um cara que resolvo, se tem um problema, se tem alguma coisa ameaçando minha família ou a mim. Cheguei à conclusão, que não sou o cara que morre na primeira temporada da série, eu fico para a segunda.”

Essa característica foi reforçada com os maiores cuidados exigidos pelo filho Romeo, diagnosticado dentro do transtorno do espectro autista. “Enquanto todo mundo entende a necessidade de não levar a mão ao rosto, ele entende, ouve, mas vai embora assim (num estalar de dedos). E ele tem a mania, como muitos autistas têm, de colocar a mão na boca e no rosto. Só isso já é um grande perigo, né? Dando conta de tudo e limpando a mão dele a cada dois, três minutos, a cada vez que ele faz alguma coisa. Percebi que sou capaz de conectar e não desligar mais.”

 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes