Empoderamento feminino: guia para você entender e se inspirar

Empoderamento feminino é diferente de feminismo. Feminismo é resumidamente um movimento que prega a ideologia da equidade social, política e econômica entre os gêneros. Empoderamento feminino é a consciência coletiva, expressada por ações para fortalecer as mulheres e desenvolver a equidade de gênero

0 436

O empoderamento feminino, basicamente, se refere a dar poder para mulheres. O movimento “girl power” nunca esteve tão presente na sociedade. E graças a movimentos como o “Me Too”, que surgiu em 2017 nos Estados Unidos, as mulheres estão cada vez mais dispostas a lutar por seus direitos.

Mas afinal, o que é o empoderamento feminino?

Primeiramente, empoderamento feminino é diferente de feminismo. Feminismo é resumidamente um movimento que prega a ideologia da equidade social, política e econômica entre os gêneros. Portanto, empoderamento feminino é a consciência coletiva, expressada por ações para fortalecer as mulheres e desenvolver a equidade de gênero.

Segundo a ONU (Organizações das Nações Unidas), empoderar-se é o ato de tomar poder sobre si. Dessa forma, também é possível fazer o empoderamento de outros grupos sociais, como o empoderamento negro e até empoderamento dos idosos, por exemplo. As pessoas oprimidas ou que recebem menos atenção na nossa sociedade, muitas vezes não têm consciência de seu próprio poder, e as mulheres estão incluídas neste grupo. É daí que surge o empoderamento. As mulheres precisam reconhecer que elas são capazes, para então poder começar a fazer mudanças.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

empoderamento feminino

Os princípios do empoderamento feminino

A ONU então lançou em 2010 os princípios de empoderamento das mulheres, a fim de pôr em prática seus propósitos para um mundo melhor. São eles:

  • Estabelecer liderança corporativa sensível à igualdade de gênero, no mais alto nível.
  • Tratar todas as mulheres e homens de forma justa no trabalho, respeitando e apoiando os direitos humanos e a não-discriminação.
  • Garantir a saúde, segurança e bem-estar de todas as mulheres e homens que trabalham na empresa.
  • Promover educação, capacitação e desenvolvimento profissional para as mulheres.
  • Apoiar empreendedorismo de mulheres e promover políticas de empoderamento das mulheres através das cadeias de suprimentos e marketing.
  • Promover a igualdade de gênero através de iniciativas voltadas à comunidade e ao ativismo social.
  • Medir, documentar e publicar os progressos da empresa na promoção da igualdade de gênero.

Para que serve o empoderamento feminino?

Empoderar é um meio para diminuir desigualdades que ainda existem nos campos da política e da economia no que diz respeito às mulheres.

Em um âmbito geral, o empoderamento feminino contribui para o crescimento econômico, social e político. Hoje, há uma maioria branca, heterossexual, cisgênero, da família tradicional comandando a vida de várias mulheres. Mulheres que precisam ser belas, recatadas e do lar, e não estar nas ruas conscientizando sobre a cultura do estupro.

Ainda há o pensamento enraizado, principalmente no Brasil, de que política é coisa de homem. Sendo que muitos homens nada sabem o que é ser mulher e o que ela precisa. Não é à toa que esses homens não empoderam as mulheres e acreditam que elas são incapazes de assumir as mesmas funções.

Definindo empoderamento

Muito em alta nos último tempos, o termo empoderamento é definido pelo dicionário Aurélio como:

“Ação de se tornar poderoso, de passar a possuir poder, autoridade, domínio sobre; exemplo: processo de empoderamento das classes desfavorecidas”. O dicionário vai além, oferecendo uma extensão deste conceito, caracterizando-o como gíria: “Passar a ter domínio sobre a sua própria vida; ser capaz de tomar decisões sobre o que lhe diz respeito, exemplo: empoderamento das mulheres”.

Por que o empoderamento é importante?

De fato, muitas mulheres ainda vivem sob um regime de discriminação, que repercute em, por exemplo, não lhes serem concedidos diversos tipos de direitos. Em 2017, a BBC News expôs algumas atividades que mulheres sauditas não podem fazer sem o consentimento de seus maridos ou tutores masculinos. Entre eles estão coisas simples para nós, ocidentais, como abrir uma conta no banco ou simplesmente fazer uma viagem. Estudar, para muitas mulheres, é uma conquista gigantesca, perto dos padrões sociais que estão acostumadas a viver.

No ano de 2009, mais precisamente no dia 15 de janeiro, o Talibã, movimento fundamentalista islâmico nacionalista difundido no Paquistão, proibiu mais de 50 mil garotas de frequentarem qualquer instituição de ensino. As mulheres não teriam mais o direito de estudar, tendo em vista que suas funções deveriam ser estritamente domésticas.

Malala Yousafzai posada olhando para frente
A paquistanesa Malala Yousafzai tornou-se referência de empoderamento feminino (Reprodução/Instagram)

Entretanto, Malala Yousafzai, então com 11 anos de idade, tinha o sonho de crescer e tornar-se médica. O jornal americano The New York Times publicou um documentário contando a história da garota, que não se calou frente a essa proibição.

Anos depois, a menina seria atingida com um tiro na cabeça enquanto voltava da escola, em represália por sua resistência. Malala sobreviveu e, após sua historia correr o mundo, ela tornou-se a pessoa mais jovem a receber o prêmio Nobel da Paz, com apenas 17 anos de idade. Ativista, Malala é uma mulher empoderada, e histórias como a dela podem ser vistas em vários países.

Empoderamento LGBTQI+

Na comunidade LGBTQ+, porém, pessoas transsexuais sofrem com um preconceito particularmente mais intenso. Seja pelo modo de agir ou por suas lutas, essas pessoas precisam mostrar, todos os dias, que podem ser aquilo que desejam independente de sua condição ou do corpo que nasceram.

No dia 22 de março de 2018, uma grande conquista foi alcançada pelas pessoas transsexuais. Nesta data, o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou a emissão de títulos eleitorais com o nome social, que é, basicamente, o nome pelo qual as pessoas de determinados gêneros preferem ser chamadas no seu dia a dia, diferenciando do nome oficialmente registrado no nascimento. Este fato, portanto, eliminou o desconforto de transsexuais, travestis e transgêneros na hora de apresentar seu título no dia da votação.

Citações empoderadoras de mulheres inspiradoras

“Eu levanto minha voz – não para que eu possa gritar, mas para que aqueles sem voz possam ser ouvidos. Não podemos todos ter sucesso quando metade de nós é retida.” – Malala Yousafzai


“Levei muito tempo para desenvolver uma voz e, agora que a tenho, não vou ficar calada.” –Madeleine Albright


“O feminismo não é tornar as mulheres mais fortes. As mulheres já são fortes, é mudar a maneira como o mundo percebe essa força.” –GD Anderson


“Não há limite para o que nós, como mulheres, podemos realizar.” – Michelle Obama 


Quando um homem dá sua opinião, ele é um homem; quando uma mulher dá sua opinião, ela é uma cadela.”
Bette Davis


Assista o vídeo sobre empoderamento das mulheres e entenda mais

https://www.youtube.com/watch?v=6RSc_XYezig

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes