Cultura do cancelamento: entenda o que é e relembre os casos de 2020

Em 2020, a “cultura do cancelamento” praticamente virou rotina diária no Twitter e no Instagram. Bastou uma celebridade emitir opinião contrária, ou cometer algum deslize que já provocou a ira dos internautas.

Se você se relembrar de alguma celebridade que disse algo controverso ou se envolveu em alguma polêmica, provavelmente ela já foi sentenciada ao “cancelamento” pelo tribunal das redes sociais. De uns anos para cá, o verbo “cancelar” passou a ser empregue para boicotar pessoas, seja anônimos ou famosos.

Em 2020, entretanto,  a “cultura do cancelamento” praticamente virou rotina diária no Twitter e no Instagram. Bastou uma celebridade emitir opinião contrária ou cometer algum deslize que já provocou a ira dos internautas.

O que é a cultura do cancelamento?

A cultura do cancelamento diz respeito a atitudes dentro de uma comunidade que pedem ou provocam a interrupção do apoio a atores, políticos, músicos, influenciadores digitais ou qualquer outra figura pública, geralmente em resposta a algum tipo de postura considerada condenável, ofensiva ou preconceituosa.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

De acordo com o dicionário Merriam-Webster, a definição do termo “cancelar” é “destruir a força, efetividade ou validade”. Quando uma pessoa diz que está cancelando uma celebridade, é isso que ela está tentando fazer.

Nas palavras do dicionário australiano Macquarie, que elegeu a cultura do cancelamento como “palavra do ano”, o termo captura um aspecto importante do estilo de vida de 2019: “uma atitude tão persuasiva que ganhou seu próprio nome e se tornou, para o bem ou para o mal, uma força poderosa”.

Cultura do cancelamento: relembre 5 famosos ‘cancelados’

"<yoastmark

Alessandra Negrini

A atriz foi uma das primeiras famosas a ser “cancelada” na internet neste ano. Musa do tradicional bloco de rua Acadêmicos do Baixo Augusta, Alessandra Negrini usou um cocar no dia do desfile, além de pintura corporal, e foi acusada de apropriação cultural.

Além disso, o uso de tinta, cocar e penas para compor fantasia de índio vem despertando controvérsia há tempos. “Índio não é fantasia”, afirmaram internautas nas redes sociais. A atriz rebateu: “A luta indígena é de todos nós e por isso eu tive a ousadia de me vestir assim A questão indígena é a central desse país. Ela envolve não somente a preservação da cultura deles como a preservação das nossas matas”, disse ela na época ao jornal “Folha de S. Paulo”.

"<yoastmark

Gabriela Pugliesi

A influenciadora digital também sentiu a força bruta da internet neste ano. Em abril, em meio ao caos da pandemia do novo coronavírus, em que autoridades de saúde do mundo inteiro pediram para que as pessoas ficassem em casa, Gabriela Pugliesi resolveu dar uma festa para poucos amigos. Não contente, a trupe registrou tudo nas redes sociais. Em um dos vídeos, a influenciadora soltou a frase infeliz: “F***-se a vida!”. O choque maior das pessoas, além da comemoração, foi o fato de Gabriela ter sido a primeira famosa no Brasil a divulgar que foi diagnosticada com a Covid-19.

Tudo pegou muito mal. Pugliesi foi obrigada a pedir desculpa, mas não colou. Com a polêmica e consequentemente a perda de seguidores, ela excluiu sua conta no Instagram, e retornou três meses depois. Mas a volta triunfal também não foi bem aceito. A musa fitness ainda terá trabalho para recuperar sua imagem que tenta propagar de vida saudável.

Anitta posada olhando para frente em cima da cama usando lingerie clara
Anitta é uma das famosas que mais é “cancelada” nas redes sociais (Reprodução/Instagram)

Anitta

A cantora se envolve em polêmicas na mesma proporção em que faz sucesso no Brasil e no mundo no cenário musical. Desde que tornou-se famosa, o nome da cantora não sai da mídia. Seja por hit, um novo relacionamento, ou por suas opiniões. Já foi “cancelada” por não se manifestar politicamente nas eleições de 2018, a mais tensa que o país já viveu; por defender o amigo Nego do Borel acusado de transfobia, entre tantas outras.

Em 2020, a polêmica da vez foi com Leo Dias. No final de maio, o jornalista publicou uma matéria falando que a cantora havia se desentendido com a mãe e, portanto, a obrigou a mudar de casa. Anitta não só desmentiu como fez uma séries de vídeos acusando Leo de chantageá-la durante boa parte de sua carreira.

O jornalista reagiu com fúria e revelou que Anitta era sua informante há anos sobre fofocas envolvendo outros famosos, e expôs vários áudios que a cantora teria lhe enviado. Em um deles, Anitta quem avisa Leo que Marina Ruy Barbosa teria disso o “pivô” do fim do casamento de José Loreto e Débora Nascimento, no ano passado. Cancelada!

Mas não parou por aí. Ludmilla e Anitta também cortaram relações. Tudo porque a dona do hit “Verdinha” descobriu que a “poderosa” havia colocado seu nome na composição de “Onda Diferente”, de autoria da mulher de Brunna Gonçalves em parceria com o rapper americano Snoop Dog. Passado algum tempo, Ludmilla se enfureceu novamente com a ex-amiga e divulgou conversas e áudios comprometedores de Anitta afirmando que não sabia que seu nome contava como uma das compositoras da música.

Thaila Ayala posada com duas amigas usando roupa tie-dye
Thaila Ayala provocou ira por lançar marca com o nome “Vírus” em plena pandemia do novo coronavírus (Reprodução/Instagram)

Thaila Ayala – Cultura do cancelamento 

Em junho, Thaila Ayala foi “cancelada” nas redes sociais porque criou, junto com amigas, uma marca de roupas intitulada “Virus 2020”. O nome não pegou nada bem e a atriz recebeu uma enxurrada de críticas. O nome de Thayla chegou a ficar entre os assuntos mais comentados do Twitter. Ela foi acusada de lucrar em cima da maior pandemia da história recente.

Diante da repercussão negativa, a atriz se desculpou e trocou o nome da grife por Amar.ca. “Nunca quis romantizar a pandemia”, afirmou ela, que ressaltou que entendeu as críticas e aprendeu com o erro.

Paola Carosella posada em sua cozinha olhando para frente
Paolla Carosella foi “cancelada” recentemente após usar a palavra “obeso” em crítica sobre rede de fast foods (Reprodução/Instagram)

Paola Carosella – Cultura do cancelamento 

Até a chef de cozinha Paola Carosella não escapou de ser “cancelada”. Tudo começou nesta semana quando a jurada do “Masterchef Brasil” publicou um tweet repercutindo a notícia de que a rede de fast foods KFC iria produzir nuggets feitos em impressoras 3D. “Olha que linda sua comida do futuro! Parabéns aos envolvidos. Continuemos assim, que o futuro vai ter gosto de papelão molhado em cloroquina radioativa!”, escreveu.

A manifestação de Paola dividiu a opinião de seus seguidores, ainda mais depois que, em resposta a um deles que a questionou sobre questões ligadas ao veganismo, Paola rebateu: “Já tentou agroecologia? Comida de verdade? Feita por pessoas? Agricultura local? Comida que respeita a cultura? Comida que respeita biomas? Que respeita pessoas? Que não produz miséria? Aquela saudável, que não nos deixa obesos, hipertensos”.

Foi a deixa para que muitos “cancelassem” Paola pelo uso da palavra “obesos” em sua manifestação. Segundo alguns internautas, a forma como ela fez referência à obesidade ligava esta condição a pessoas doentes. A chef se retratou: “Eu deveria ter usado a palavra ‘doentes’ no lugar de ‘obesos’. ‘Aquela que nos deixa doentes’. Isso foi o que muita gente quis me dizer e eu não entendi. Me desculpem”, afirmou.

 

Informar Erro
Siga-nos no 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes