As 3 perguntas de Jeff Bezos para contratar um funcionário

O CEO da empresa Amazon contou em entrevista recente as perguntas que fazia aos seus candidatos para escolher quem iria ingressar na companhia.

O detentor de uma fortuna de 200 bilhões de dólares, Jeff Bezos, é o homem mais rico do mundo. O dono da Amazon dedica sua via a companhia bilionária desde 1994. Em uma entrevista recente, Bezos relembrou dos tempos em que ele fazia entrevistas para admitir ou não funcionários em sua empresa. Claro que hoje isto não é mais possível, devido ao tamanho da Amazon. Contudo, na época, o CEO conta que se baseava em três perguntas para saber se iria ou não contratar o individuo.

Os questionamentos eram direcionados a si mesmo e giravam em torno do valor que aquela pessoa poderia agregar à empresa. Confira as três perguntas.

“Eu vou admirar essa pessoa?” – Jeff Bezos

Jeff bezos
Foto: getty images/reprodução

Bezos conta que admira pessoas com as quais ele poderia aprender algo novo ou ter o individuo como exemplo em algumas circunstancias.

Além disso, é possível ter um senso claro do perfil profissional do candidato ao perguntar como ele lidou com uma situação difícil em sua carreira — e observar quais foram as estratégias empregadas para resolvê-la.

De minha parte, sempre me esforcei para trabalhar apenas com pessoas que admiro e incentivo as pessoas aqui a serem igualmente exigentes. A vida é definitivamente curta para fazer o contrário ”, diz Bezos.

“Essa pessoa vai contribuir para aumentar o nível de eficiência do grupo em que está entrando?”

Para Bezos, um dos principais pontos na hora de contratar alguém é pensar se essa pessoa vai agregar na empresa e ajudar o negócio a crescer. Além de poder ajudar o grupo, como um todo, a melhorar a produtividade e eficiência na companhia. O CEO recomenda perguntar aos candidatos como eles visualizam a companhia dali cinco anos.

Em que dimensão essa pessoa pode ser um “talento fora da curva”? – Jeff Bezos

Bezos disse que é importante considerar os talentos individuais de um candidato, mesmo que o esforço e habilidades também sejam importantes. A busca então seriam por profissionais acima da média, inovadores e que fogem do comum. Eles podem ser descritos como independentes, radicais e um pouco rebeldes — chegando ao ponto de serem “um pouco irritantes” e “nem sempre os mais fáceis de conviver”, disse Bezos em uma entrevista de 2018. Contudo, o CEO completa que ainda assim vale a pena tê-los por perto ”porque encorajam o pensamento inovador” e colaboram para o crescimento da companhia.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.