Fundador da Duty Free, Charles Feeney realiza sonho e doa sua fortuna de US$ 8 bilhões

O bilionário Charles Feeney conclui o sonho de quatro décadas de dar uma fortuna de $ 8 bilhões

O bilionário realizou o sonho de toda a vida: doar sua fortuna. O cofundador do Duty Free Shoppers, Charles Feeney, 89, dooude US$ 8 bilhões para a caridade – e diz que está mais feliz do que nunca (mas guardou US$ 2 milhões).

Durante anos, o bilionário Charles Feeney  – fundador da Duty Free -, tinha um objetivo em mente : doar sua enorme fortuna e viver o resto de sua vida “falido”. Agora, o homem de 89 anos realizou seu desejo.

De acordo com a Forbes, Charles Feeney doou mais de US$ 8 bilhões de forma anônima por meio de sua fundação, Atlantic Philanthropies . Ao longo de quatro décadas, o magnata doou US$ 3,7 bilhões para a educação e mais de US$ 870 milhões para os direitos humanos e campanhas de mudança social.

Feeney, que acumulou sua fortuna depois de fundar o famoso varejista de aeroporto Duty Free, também cedeu cerca de US$ 62 milhões em subsídios para acabar com a pena de morte nos Estados Unidos e US$ 76 milhões para apoiar o Affordable Care Act (Obamacare), informa a imprensa internacional. Feeney também repassou uma contribuição de US$ 350 milhões para construir um campus de tecnologia na cidade de Nova York.

Já com quase toda sua fortuna perdida, Feeney então fechou oficialmente a Atlantic Philanthropies.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

“Aprendemos muito. Faríamos algumas coisas de maneira diferente, mas estou muito satisfeito. Sinto-me muito bem por ter completado isso sob meu comando”, disse Feeney à Forbes .

“Os meus agradecimentos a todos os que se juntaram a nós nesta viagem”, acrescentou. “E para aqueles que estão se perguntando sobre Giving While Living: Experimente, você vai gostar.”

 

Charles Feeney  e o sonho de ficar pobre

Em um artigo da Forbes, publicado em 2012 com o título  “O bilionário que está tentando quebrar “, Feeney disse que ajudar os outros simplesmente o deixava feliz.

Na época, ele contou ter guardado US$ 2 milhões para si. “As pessoas costumavam me perguntar como eu conseguia me divertir, e acho que fico feliz quando o que estou fazendo é ajudar as pessoas e infeliz quando o que estou fazendo não está ajudando as pessoas.”

Como a revista observou, Feeney não divulgou suas doações específicas e fez o possível para manter muitas delas em segredo. Em uma instância, o presidente de Cornell teve que convencer o conselho de curadores que as doações anônimas de Feeney não eram ” dinheiro da máfia “.

Em 2014, o bilionário Warren Buffet homenageou Feeney durante uma cerimônia de premiação na qual ele se referiu a ele como um “herói”. “Ele é um modelo para todos nós. Vou levar 12 anos após minha morte para fazer o que ele está fazendo em sua vida”, disse.

Então, em um vídeo postado no site da Atlantic Philanthropies , Feeney disse que se sentia na obrigação de usar sua riqueza para o bem dos outros.

“Não vejo razão para adiar a doação, quando tanto bem pode ser alcançado apoiando causas valiosas hoje”, disse ele.

“O mundo está tão cheio de pessoas que têm menos do que precisam”, continuou Feeney. “Cada vez que você pode resolver o problema deles, você os ajuda a seguir em frente e pensa que a vida pode mudar e eu posso mudar isso.”

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes