Conclusão de programas fica em segundo plano

BRASÍLIA – Às vésperas do final da campanha, os presidenciáveis Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) preferiram deixar para segundo plano a apresentação dos programas de governo. A coordenação da campanha pet

BRASÍLIA – Às vésperas do final da campanha, os presidenciáveis Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) preferiram deixar para segundo plano a apresentação dos programas de governo. A coordenação da campanha petista não deve divulgar nenhuma versão final até antes das eleições, enquanto o tucano analisa quando vai colocar na internet a síntese das contribuições recebidas dos internautas. Ambos alimentam receios de serem copiados pelo adversário.

O coordenador do programa de Dilma, Marco Aurélio Garcia, revelou ontem ao DCI que ficará para aproveitamento interno dos dez partidos da coligação “Para o Brasil Seguir Mudando” as propostas apresentadas e debatidas durante as reuniões realizadas durante a campanha.

Dilma já apresentou duas versões do programa de governo. A primeira, elaborada com as digitais da ala mais radical do PT, continha pontos polêmicos, como o controle da mídia, a redução da jornada de trabalho para 40 horas e a vistoria de terras invadidas. As mudanças foram feitas por pressão do PMDB, que tem como vice na chapa o presidente nacional do partido e da Câmara, Michel Temer (SP).

Até a próxima quarta-feira, às vésperas das eleições, Serra promete apresentar o programa de governo. Por enquanto, a principal novidade anunciada é que o documento final reunirá 270 páginas, a maioria delas inspirada em sugestões feitas por internautas durante 100 dias, desde junho. Nesse período, foram apresentadas 8,3 mil contribuições aos 40 temas sugeridos

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes