Em 2019, 4,1 mi de alunos da rede pública não tinham acesso à internet, diz IBGE

Falta de acesso à rede mundial entre estudantes da rede particular, no entanto, somou 174 mil, segundo a pesquisa Pnad divulgada nesta quarta

0 porcentual de estudantes com idade acima de 10 anos, incluindo esta, com acesso à internet ficou em 88,1%, em 2019, ante 86,6%, no ano anterior. Apesar do crescimento entre os dois períodos, em 2019, o alcance do serviço entre alunos que frequentam a escola pública quando comparado ao dos estudantes matriculados no ensino privado denuncia uma triste realidade. Em 2019, enquanto 4,1 milhões de estudantes da rede pública de ensino não tinham acesso à internet, 174 mil do setor privado não tinham conexão à rede mundial de computadores.

Os números, divulgados nesta quarta-feira, 14, fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios (Pnad) Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que investigou, durante o último trimestre de 2019, o acesso à Tecnologia da Informação e Comunicação. Segundo o IBGE, naquele ano, 98,4% dos alunos de escolas particulares não apenas tinham acesso à internet como mais de 95% eles usavam a rede, em todas as regiões do país. No ensino público, 83,7% tinham acesso à internet.

Tráfego Pago: descubra como melhorar a visibilidade da sua empresa
Custo de aparelhos eletrônicos foi citado como impeditivo para acesso à internet Reprodução / Pexels

Alessandra Scallioni Brito, analista da pesquisa, diz que essa diferença entre as duas classes de estudantes quanto ao acesso à rede está ligada à renda. O levantamento do IBGE apontou que 26,1% dos alunos disseram não usar a internet por considerar o serviço caro e 19,3% apontaram o custo do equipamento, no caso computador ou equipamento similar, como fator para a não utilização. Mas a falta de condições financeiras não foi o único impeditivo. Entre os 39,8 milhões de brasileiros que não acessaram a internet em 2019, 43,8% disseram não ter o serviço por não saberem navegar na rede.

Celular na internet

E se o celular tem cada vez mais se tornado uma alternativa para o acesso à internet, os números também não são otimistas.  Mesmo com o crescimento do uso de smartphones por estudantes para acessar a rede, chegando a 97,4%, em 2019, diz o IBGE, apenas 64,8% dos alunos de escolas públicas tinham o aparelho naquele ano. Mas, desse total, nem todos tinham acesso à internet. Já entre os estudantes de escolas particulares, 92,6% tinham celular, em 2019. A exemplo dos computadores, o custo do aparelho celular foi apontado como principal motivo para sua falta, agora não apenas entre os estudantes de escolas públicas, mas também entre os da privada.

A internet Provedor regional ainda avalia entrada no Internet para Todos  foi utilizada, em 2019, por 143 milhões de brasileiros, que representam 78,3% dos entrevistados. Ainda que as regiões Norte e Nordeste tenham apresentado os maiores crescimentos quanto ao acesso, as duas ainda aparecem com os menores porcentuais de pessoas com acesso:  69,2% na região Norte e 68,6%, no Nordeste. A idade deixou de ser impedimento para o uso da rede. Seu uso avançou em todas as faixas etárias, com destaque para as mais altas, de 50 a 59 anos, e também entre aqueles acima dessa idade, faixa onde subiu 6,3 pontos porcentuais em 2019 ante 2018.

Você pode gostar também
buy cialis online