Leilão da Receita traz MacBook a partir de R$ 500; veja como participar

Produtos apreendidos pela Receita Federal vão a leilão e interessados podem enviar propostas até terça-feira, dia 27; confira os lotes e valores iniciais

A Receita Federal de Campinas (SP) está com leilão disponível aos interessados com vários produtos que foram apreendidos. Tudo está sendo vendido por valores muito abaixo do mercado.

O que tem no leilão

Uma das ofertas disponíveis está no lote 91 do leilão. Trata-se de um notebook da Apple, o Macbook Pro, a partir de R$ 500. Um modelo deste, na loja oficial, custa R$ 14.229, preço 28 vezes maior.

Ao todo são 208 lotes que compõem o leilão de Campinas, com mercadorias como notebooks, acessórios e smartphones. O comprador deve estar atento, pois há lotes para pessoas físicas ou jurídicas, bem como outros exclusivos para clientes com CNPJ.

Os interessados podem enviar propostas até terça-feira, dia 27. O pregão está marcado para quinta-feira, dia 29, a partir das 10h.

Leilão da Receita no Sul do Brasil

Outra oportunidade de negócio está no leilão eletrônico de veículos e outros produtos apreendidos pela Receita Federal no Paraná e em Santa Catarina.

Pessoas físicas e jurídicas podem participar das disputas.

Neste leilão, caminhões, vans, celulares, painéis de LED, impressoras digitais, patinetes, videogames, e outros produtos estão disponíveis.

Ao todo são 310 lotes no leilão. Também há lotes disponíveis em outras delegacias do estado, como Curitiba, Londrina e Maringá.

As propostas podem ser apresentadas até às 21h de segunda-feira, dia 26, pela internet.

Cuidado com golpes

A Receita Federal, no entanto, alerta os contribuintes para a existência de páginas na internet que simulam o Sistema de Leilão Eletrônico (SLE) oficial da Instituição.

Os leilões de mercadorias apreendidas pela Receita não são realizados em sites privados. O único canal disponível é o Sistema de Leilão Eletrônico, no site da Receita.

Em leilões da Receita, o pagamento se dá exclusivamente por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf) e com depósitos ou transferências para contas.

Se suspeitar de algo, denuncie. É possível fazer isso pela internet, na Ouvidoria do Ministério da Economia.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.