Leilão da Receita traz MacBook a partir de R$ 500; veja como participar

Produtos apreendidos pela Receita Federal vão a leilão e interessados podem enviar propostas até terça-feira, dia 27; confira os lotes e valores iniciais

A Receita Federal de Campinas (SP) está com leilão disponível aos interessados com vários produtos que foram apreendidos. Tudo está sendo vendido por valores muito abaixo do mercado.

O que tem no leilão

Uma das ofertas disponíveis está no lote 91 do leilão. Trata-se de um notebook da Apple, o Macbook Pro, a partir de R$ 500. Um modelo deste, na loja oficial, custa R$ 14.229, preço 28 vezes maior.

Ao todo são 208 lotes que compõem o leilão de Campinas, com mercadorias como notebooks, acessórios e smartphones. O comprador deve estar atento, pois há lotes para pessoas físicas ou jurídicas, bem como outros exclusivos para clientes com CNPJ.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Os interessados podem enviar propostas até terça-feira, dia 27. O pregão está marcado para quinta-feira, dia 29, a partir das 10h.

Leilão da Receita no Sul do Brasil

Outra oportunidade de negócio está no leilão eletrônico de veículos e outros produtos apreendidos pela Receita Federal no Paraná e em Santa Catarina.

Pessoas físicas e jurídicas podem participar das disputas.

Neste leilão, caminhões, vans, celulares, painéis de LED, impressoras digitais, patinetes, videogames, e outros produtos estão disponíveis.

Ao todo são 310 lotes no leilão. Também há lotes disponíveis em outras delegacias do estado, como Curitiba, Londrina e Maringá.

As propostas podem ser apresentadas até às 21h de segunda-feira, dia 26, pela internet.

Cuidado com golpes

A Receita Federal, no entanto, alerta os contribuintes para a existência de páginas na internet que simulam o Sistema de Leilão Eletrônico (SLE) oficial da Instituição.

Os leilões de mercadorias apreendidas pela Receita não são realizados em sites privados. O único canal disponível é o Sistema de Leilão Eletrônico, no site da Receita.

Em leilões da Receita, o pagamento se dá exclusivamente por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf) e com depósitos ou transferências para contas.

Se suspeitar de algo, denuncie. É possível fazer isso pela internet, na Ouvidoria do Ministério da Economia.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes