Diabo-da-tasmânia: após 3 mil anos de extinção, espécie reaparece na Austrália

Conhecida pelo universo dos desenhos animados e vítima da extinção, diabo-da-Tasmânia pode voltar a se reproduzir na Austrália graças a projeto que começou em 2004

Há três mil anos não era possível ouvir o grito do diabo-da-Tasmânia pela Austrália, vítimas da extinção da espécie. Talvez você não consiga se lembrar de imediato de que animal estamos falando, mas a referência dele você certamente teve em sua infância: o famoso e agitado Taz, da turma de Looney Tunes.

Fato é que o tempo foi minando a espécie, sobretudo pela ação humana. Com os homens destruindo a fauna, não havia mais como esses animais se alimentarem. No entanto, nos anos 1990, a tacada final se deu quando os diabos-da-Tasmânia foram vítimas de uma espécie de câncer bucal contagioso e mortal.

Assim, a última população selvagem deles reduziu-se para 25 mil exemplares no estado insular da Tasmânia, deslocada ao sul da Austrália.

Como eles ressurgiram?

Os animais puderam ser reinseridos no ambiente graças a um trabalho de mais de uma década.

Isso porque a organização Aussie Ark, focada em recuperar espécies em perigo, conseguiu organizar a soltura de alguns espécimes.

Um espaço de 400 hectares no Parque Nacional Barrington Tops, na Austrália oriental, foi especialmente preparado – isso quer dizer: sem predadores dos diabos – para a soltura e reprodução futura deles.

 

Na ação realizada nesta segunda-feira, dia 5, o ator australiano Chris Hemsworth, conhecido por interpretar Thor no Universo Marvel, ajudou a libertar 11 dos animais em comemoração ao sucesso do projeto.

Conheça mais sobre o diabo-da-Tasmânia

Apesar do nome que pode chocar de imediato, os diabos-da-Tasmânia não são tão terríveis assim.

Para início de conversa, eles nem têm tanta semelhança com o Taz dos Looney Tunes.

Comparativo entre o Taz de Looney Tunes e o diabo-da-Tasmânia. Foto: reprodução
Comparativo entre o Taz de Looney Tunes e o diabo-da-Tasmânia. Foto: reprodução

O real diabo-da-Tasmânia, cujo nome científico é Sarcophilus harrisii, parece com o Taz dos desenhos em dois pontos: come quase de tudo e tem um temperamento – digamos – difícil. Mas não, ele não fica girando como um furacão por aí, como na tevê.

Saiba mais curiosidades sobre esses animais australianos:

  • 1- Origem do nome
    De fato, os diabos-da-tasmânia foram assim batizados por serem muito bravos. Eles fazem um som que algumas pessoas diziam parecer um demônio gritando.
  • 2- Grande apetite
    Os diabos-da-Tasmânia comem quase de tudo: como aves, sapos, répteis, cangurus pequenos, carcaças e até – se preciso for – devora terra. E eles desperdiçam nada: comem os ossos, órgãos, músculos e até os pelos em seus “banquetes”.
  • 3- Pequenos, mas fortes
    Apesar de não passarem de 80 centímetros e andarem de forma desajeitada, esses animais são ótimos escaladores de árvores. E, segundo a National Geographic, eles têm uma das mais poderosas mordidas de todo reino animal.
Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes