Parques querem 30% mais público nas férias

FRIO E POUCO DINHEIRO PARA VIAGENS LONGAS. DOIS BONS INDICATIVOS DE UM MÊS DE JULHO AQUECIDO PARA O MERCADO DOS PARQUES DE DI

Frio e pouco dinheiro para viagens longas. Dois bons indicativos de um mês de julho aquecido para o mercado dos parques de diversão. Por conta disso, especialistas do setor estimam incremento de até 30% em público e faturamento neste mês, em comparação com o mesmo período do ano passado.

O período – que tradicionalmente chega a representar até 30% da receita dos parques – tem recebido maior atenção por parte dos empresários, que apostam em maiores verbas de marketing e de atrações.

Considerado o maior parque temático coberto da América Latina, O Mundo da Xuxa oferece 15 atrações importadas para a diversão da criançada. Nestas férias de julho, a criançada ganhou uma atração a mais. É a #0027Fábrica de Chocolate#0027, criada em parceria com a Nestlé , com R$ 1 milhão de investimentos. De acordo com Mario Castelar, diretor de comunicação e marketing da Nestlé, são oito carrinhos que percorrem cenários alusivos a todos os procedimentos da fabricação do chocolate. ‘A parceria com o parque é um reforço em diversas ações conjuntas que realizamos com a Xuxa’, afirmou.

Além da nova atração, o parque está também de olho em novos formatos de negócios, para incrementar a visitação em baixa temporada. ‘Estamos estudando lançar um café da manhã com personagens da televisão e as festas fechadas de aniversário. Tudo para manter o parque aquecido’, comenta Maria Eugênia Srur, diretora de marketing.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Para este mês, segundo Maria Eugênia, são esperadas 80 mil pessoas – no mínimo 20% a mais do que nas férias de inverno do ano passado.

Também otimista, o Parque da Mônica prevê para julho um movimento 20% maior do que o do ano passado. O período, que representa 30% do faturamento, não revelado, deve atrair 70 mil pessoas ao local – 25% a mais do que em 2003. ‘Muitas famílias estão optando por passeios na cidade, por serem mais em conta, diferentes das viagens longas, e os passeios em parques de diversão são uma alternativa’, afirma Raquel Felício, gerente de marketing do Parque.

Foram gastos R$ 500 mil nestas férias, em ações de mídia e atrações como o #0027Mundo das Histórias em Quadrinhos#0027 – em que as crianças entram em gibis gigantes. O parque também fechou parceria com o canal infantil da tevê paga Cartoon Network , outra forma de chamar público. ‘Temos ainda uma parede de escalada gigante, em parceria com a Perdigão , ideal para crianças de 3 a 10 anos. São itens que fazem a diferença’.

Com 31 anos de existência, o tradicional Playcenter também garante ter percebido um público maior este mês e espera recuperar as perdas de anos anteriores nesta mesma época. ‘Os empresários do setor são realmente empreendedores. O mercado de parques de diversão sofre com alterações econômicas, questões climáticas, alta do preço das atrações (geralmente cobradas em dólar ou euro), mas mantém sempre a boa expectativa, como nós’, declara Laura Rocha, a gerente de marketing do Playcenter. Segundo ela, os investimentos destas férias de julho foram 50% maiores, bem como as promoções para fidelizar os consumidores. ‘Dirigimos R$ 450 mil em mídias diversas e promoções. Para se ter uma idéia, o preço do passaporte é de R$ 25, mas abaixamos o valor para R$ 18’.

Inaugurado em julho de 1973, o Playcenter foi o pioneiro na área de parques de diversões no Brasil. Hoje são 35 as atrações, entre opções como o Skycoaster que pode ser visto da Marginal do Tietê e é uma espécie de bungee jumping de quase 60 metros de altura, e a #0027Montanha Encantada#0027.

Localizado no Sul do País, o Parque Beto Carrero World , criado em 1992, já recebeu até hoje mais de R$ 90 milhões de investimentos. Em julho, o local recebe em torno de 100 mil pessoas em busca de desfiles temáticos, animais exóticos, acrobacias radicais e diversos shows.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes