Por pandemia, candidatos pedem novo adiamento do Enem

As provas impressas estão marcadas para os dias 17 e 24 de janeiro e as digitais para os dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Estudantes e professores pedem para que haja um novo adiamento da prova do Enem 2020, por conta da situação em que o país enfrenta com a pandemia da COVID-19. O Amazonas barrou a realização da prova no próximo domingo (17), pois o estado está em situação de calamidade por conta do surto de novos casos da doença. Além disso, em outros lugares, o Ministério Público também está pedindo novo adiamento da prova, mas a justiça não acatou os pedidos. O Inep alega que é seguro fazer os exames neste momento com protocolos de segurança.

O Enem 2020 conta com 5,78 milhões de candidatos, que vão realizar as provas físicas. O exame terá 14 mil locais de prova e 205 mil salas em todo o país.

Pedidos de novo adiamento

O Enem aconteceria em novembro de 2020, mas com a pandemia da COVID-19, ficou decidido que as provas seriam adiadas. As novas datas são:

Contudo, com a alta de casos, parte dos candidatos quer que haja um novo adiamento das provas. Por exemplo, em Minas Gerais, o Ministério Público Federal (MPF) pediu o adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

No Distrito Federal, o Ministério Público Federal pediu para o Inep avaliar a possibilidade de adiar a aplicação do Enem 2020 apontando a alta no número de casos de covid-19. No Rio de Janeiro, o governador em exercício, Cláudio Castro, e o secretário estadual de Educação, Comte Bittencourt, defenderam o adiamento da prova em uma transmissão ao vivo no Facebook. Mas a Justiça não acatou os pedidos e a data de provas segue mantida.

São Paulo nega pedidos

Em são Paulo, o Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) manteve nesta quinta (14) a decisão da Justiça Federal em SP que negou o adiamento do Enem.

No texto da decisão, o desembargador Antonio Carlos Cedenho diz que “a aplicação do exame não foi uma decisão isolada e política do Ministério da Educação. Houve a participação de setores diretamente interessados no Enem, inclusive estados e municípios, dando legitimidade e representatividade para a nova data de realização”, referindo-se a remarcação da prova de novembro de 2020 para janeiro.

No documento do desembargador, afirma-se que “a suspensão do exame levará à desestabilização da educação básica e do ensino superior, em prejuízo das deliberações tomadas, do planejamento de realização da prova, dos programas de governo, de cunho assistencial e afirmativo (Sisu, Prouni, Fies e cotas sociais e raciais), e da vontade de parte significativa do corpo discente”.

pedidos de novo adiamento do enem
Local de prova do Enem 2019 (Foto: EPTV)

Inep

Além disso, o Inep defende que as provas devem ser mantidas ainda este mês, na data estipulada.

Em entrevista ao UOL, o presidente do órgão, Alexandre Bastos, comparou o Enem às atividades permitidas nas cidades. “Se você for nas cidades, shoppings, bares e restaurantes estão abertos. As autoridades dizem que se você seguir o protocolo de segurança pode ir. Se há o entendimento que para certas atividades cumprindo protocolos você tem segurança, a gente entende que com os nossos protocolos é seguro fazer a prova do Enem”, afirmou.

Novo adiamento do Enem em Amazonas

No Amazonas houve um novo adiamento do Enem. As provas devem ficar suspensas enquanto durar o estado de calamidade pública decretado pelo poder executivo estadual. Manaus está sofrendo com a falta de oxigênio nos hospitais da cidade.

Até a última quarta-feira (13), mais de 219 mil pessoas foram infectadas pela Covid em todo estado, e mais de 5,8 mil morreram com a doença.

Manifestações online

Muita gente vem se manifestando para que as provas sejam adiadas novamente. Confira algumas reações que ocorrem no Twitter ontem e hoje.

 

Você pode gostar também
buy cialis online