Sara Winter diz ter sido abandonada por Bolsonaro e estar com depressão

Extremista Sara Winter fez desabafo em rede social, onde afirmou “não ser obrigada a pular de alegria com 100% das decisões” do presidente e seus ministros

Nas últimas horas, Sara Winter, conhecida por atuar com representantes da extrema direita, fez desabafos em formas de postagens em redes sociais.

Impossibilidade de ir à igreja

Sara Winter também se queixou de como estão correndo os dias desde que foi presa. “Hoje fazem 114 dias que estou presa. Foram 2 mandados de busca e apreensão em minha casa, inclusive com meu filho aqui. No último, me levaram pra passar 10 dias num presídio estadual”, relembra.

Ela ainda reclama da impossibilidade de ir à igreja. “Mais de 140 dias sem a comunhão, contando o tempo de pandemia + tempo de prisão. Nenhum orientador espiritual, sem confissão, sem o corpo de Cristo. Nada me deprime mais do que isso. Sofro de depressão grave desde os 11 anos. Mas nunca estive impedida de procurar meios para o tratamento”.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Rompeu com Bolsonaro?

Desta vez, a extremista Sara Winter reclama da maneira como está sendo tratada pelo governo de Jair Bolsonaro. Segundo ela, não tem recebido orientações de como proceder, e que pessoas com quem tinha ligação no governo passaram a ser exoneradas dos cargos.

Em uma das postagens, feita no domingo, dia 4, Sara Winter diz estar cansada. “Cansada de ficar calada enquanto vejo o governo que dei minha vida enfiar uma p***** no meu c*. Damares? Eu sou a filha que Damares abortou. O ofício que meus advogados protocolaram no Ministério dos Direitos Humanos no dia 17 de Junho sobre a prisão política está jogado lá, nem olharam, tampouco responderam”, desabafou em seu Facebook.

Sara Winter exibiu relatório médico em suas redes sociais. Foto: reprodução
Sara Winter exibiu relatório médico em suas redes sociais. Foto: reprodução

Ainda comentou que o presidente não lhe dá devida atenção, muito embora repita que não rompeu com Bolsonaro, mas que ele precisa se acercar de cuidados com os “comunistas que estão ao seu redor”. “Bolsonaro? Que inveja eu tenho do Toffoli. Ele pelo menos ganhou um abraço do Bolsonaro”, narrou a extremista em alusão ao encontro do ministro do STF com o presidente da República neste final de semana.

Por fim, ainda diz que luta “pela vontade de fazer justiça com todos os que estão presos por defender Bolsonaro”. No entanto, garantiu que não pode mais contar com ele, “pois infelizmente, por ‘estratégia’ se tornou parte do establishment”, concluiu.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes