Senador Arolde Oliveira morre de complicações da covid-19

O parlamentar, apoiador do presidente Jair Bolsonaro, sempre foi crítico das medidas tomadas contra a contaminação da covid-19. Arolde Oliveira ainda foi defensor da cloroquina, mesmo sem eficácia comprovada contra o novo coronavírus.

O Senador Arolde Oliveira (PSD-RJ), crítico feroz do isolamento social durante a pandemia do coronavírus e defensor do uso da cloroquina, morreu em decorrência de complicações provocadas pela covid-19. Sua morte foi confirmada na noite desta quarta-feira (21).

Arolde, que era apoiador do governo de Jair Bolsonaro (sem partido), sempre se manifestou publicamente contra as medidas tomadas para isolamento social, além de sempre defender o uso hidroxicloroquina, mesmo sem eficácia comprovada, contra os efeitos do “vírus chinês”, como se referia ao coronavírus. “Os números do vírus chinês no mundo e no Brasil demonstram a inutilidade do isolamento social. Autoridades, alarmistas por conveniência, destruíram o setor produtivo e criaram milhões de desempregos. O Presidente Jair Bolsonaro, isolado pelo STF, estava certo desde o início”, chegou a avaliar o senador.

Senador Arolde Oliveira estava há 15 dias internado

Até sua internação, há 15 dias, Oliveira também criticava a legitimidade da vacina chinesa, a CoronaVac e chegou a dizer que alguns políticos estavam fazendo “uso eleitoral” da crise de saúde mundial.  Arolde estava com 83 anos e teve falência múltipla de órgãos. Ontem, segundo o Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saude), o Brasil chegou a 155.402 óbitos motivados pela Covid-19 desde o início da pandemia.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.