Paraná fecha acordo para 1ª vacina contra a COVID-19 no Brasil

Governador do estado deve assinar acordo com a Rússia amanhã à tarde para ter direito à produção e distribuição da vacina no país.

O governo do Paraná anunciou que fechará acordo com a estatal russa para produção da vacina Sputnik V, contra a COVID-19 no Brasil. O convenio será assinado nessa quarta-feira (12). Por esse acordo o Brasil poderá produzir, testar e distribuir a vacina.. A previsão é que o governador Ratinho Junior (PSD) assine o contrato amanha pela tarde. O presidente russo Vladmin Putin anunciou hoje (11) que a vacina de seu país foi registrada como agente imunizante contra o novo vírus.

Após o acordo, o governo do Paraná informou que irá compartilhar o protocolo russo com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), para que a agência libere todas essas etapas para produção da nova vacina contra Covid-19 no Brasil. O Paraná já havia anunciado em 24 de julho que uma parceria com a Rússia estava em andamento. O possível acordo foi tratado em uma reunião, em Brasília, entre o chefe da Casa Civil, Guto Silva, e o embaixador da Rússia no Brasil, Sergey Akopov.

Vacina contra a COVID-19 Russa

A Sputnik V foi desenvolvida pela estatal russa Instituto Gamaleya de Epidemiologia e Microbiologia, em conjunto com o Ministério da Defesa da Rússia. O presidente Putin anunciou hoje (11) que a vacina russa é a primeira a ser registrada contra o coronavírus. Ele afirmou que o imunizante já realizou todos os testes e tem eficácia comprovada. O presidente ainda disse que uma de suas filhas foi vacinada contra a COVID-19 e está imunizada.

Mas mesmo com esse anuncio, especialistas ainda estão em dúvida sobre a eficácia da vacina. Pois , no site da Organização Mundial de Sáude (OMS) no dia 31 de julho, constava que a vacina russa ainda estava na fase 1 do processo. Para produzir uma vacina, são necessárias 3 fases.

A vacina está prevista para ser distribuída em 1 de janeiro de 2021, de acordo com o registro nacional de medicamentos do ministério da Saúde, consultado pelas agências de notícias russas.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.