Entenda porque o fundador do Twitter, Jack Dorsey, não usa produtos do Facebook

Durante sua participação no podcast The Boardroom, o CEO do Twitter, Jack Dorsey, afirmou que não utiliza nenhum dos produtos controlados pelo Facebook, empresa criada por Mark Zuckerberg em 2004. Confira as informações essenciais para entender a relação do CEO do Twitter com o Facebook e seu criador.

0 149

Durante sua participação no podcast The Boardroom, o CEO do Twitter, Jack Dorsey, afirmou que não utiliza nenhum dos produtos controlados pelo Facebook, empresa criada por Mark Zuckerberg em 2004.

Quer saber o motivo dessa declaração e se Dorsey não se bica com Mark Zuckerberg? Então confira abaixo as informações essenciais para entender a relação do CEO do Twitter com o Facebook e seu criador.

Por que Jack Dorsey não utiliza o Facebook?

Durante sua participação no The Boardroom, um podcast sobre esportes e empreendedorismo, Jack Dorsey declarou que não utiliza quaisquer produtos controlados pela empresa Facebook. Obviamente, a fala polêmica do CEO do Twitter repercutiu na internet e na imprensa rapidamente. “Eu não uso Instagram. Amo a forma como o Snapchat inovou [o app foi comprado por Zuckerberg em 2016]. Acho que eles são fenomenais. Eu não uso muitos produtos do Facebook. Na verdade, nenhum.”, afirmou Dorsey em conversa com o Podcast.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Quando questionado sobre, o bilionário disse que ambos simplesmente possuem “abordagens diferentes” em relação à redes sociais. Em 2020, o Twitter e o Facebook agiram de formas bem opostas em relação à publicações políticas e discurso de ódio em suas plataformas. Enquanto a rede de Zuckerberg pouco interfere nas duas coisas, o Twitter posicionou-se fortemente contra tais questões ligadas aos movimentos de extrema-direita nos Estados Unidos. 

Além de uma vigilância severa contra mensagens de ódio, o Twitter também baniu propagandas políticas em sua plataforma, pois “o alcance das mensagens políticas deve ser conquistado, não comprado”. Jack Dorsey inclusive já criticou publicamente um discurso de Mark Zuckerberg defendendo o não banimento de posts políticos.

Existe uma rixa entre o CEO do Twitter e Mark Zuckerberg?

Não é a primeira vez que os dois executivos se alfinetam em público. Esse tipo de situação começou em janeiro de 2019, quando Jack Dorsey concedeu uma entrevista à Rolling Stone. Durante o papo, o executivo do Twitter afirmou que Zuckerberg o convidou para um jantar em que o prato principal foi uma cabra morta pelo próprio fundador do Facebook. Se a divulgação da bizarrice não bastasse para quebrar a relação entre os dois, Dorsey disse que a cabra foi tirada do forno antes da hora e estava “gelada”. 

Depois dessa entrevista a troca de críticas se aprofundou. Em um áudio vazado de uma reunião do Facebook sobre segurança, Mark Zuckerberg criticou a atuação da rede de Dorsey nesse quesito. “É por isso que o Twitter não consegue fazer um trabalho tão bom quanto nós fazemos. Quero dizer, eles enfrentam, qualitativamente, os mesmos tipos de problemas, mas não conseguem arcar com o investimento. Nosso investimento em segurança é maior que todo o faturamento deles”, disse afirmou o fundador do Facebook em meio a risadas. Vale relembrar que Jack Dorsey enfrentou críticas por uma recente falha de segurança no Twitter.

Certamente, outro momento memorável da rixa Dorsey X Zuckerberg foi quando o Facebook anunciou seu novo logo corporativo para a empresa e suas marcas. Após o anúncio, Jack Dorsey fez piada sobre o fato do novo logo ser apenas o nome do Facebook escrito em caixa alta. No post irônico (logo abaixo), o executivo usou o próprio nome do Twitter para imitar a estética da empresa de Zuckerberg.

A troca de farpas os dois bilionários ainda deve render muito, pois ambos certamente possuem mais problemas do que somente “abordagens diferentes”  para suas redes sociais.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes