Festa na praia de Ipanema causa revolta nas redes sociais

A festa em Ipanema foi realizada na madrugada desta quinta e chocou a internet; usuários estavam sem máscara e sem distanciamento social. Confira

Em plena pandemia do novo coronavírus, o brasileiro parece não ter aprendido a se conscientizar sobre os riscos que a doença traz. A aglomeração na festa em Ipanema no penúltimo dia de 2020 mostram que, com ou sem Covid-19, a festa é garantida.

Integrantes da festa em Ipanema – realizada na altura do Posto 9, publicaram nas redes sociais, fotos e vídeos sem máscara e sem distanciamento social algum. As postagens geraram revoltas dos internautas e o assunto chegou aos trending topics do Twitter/Rio na madrugada desta quinta-feira (31). A Polícia Militar precisou interditar a festa na praia de Ipanema.

Veja as mensagens da revolta dos internautas sobre a festa em Ipanema

Festa em ipanema choca internautas
(foto: reprodução/twitter)
Festa em ipanema causa revolta de internautas nas redes sociais
(foto: reprodução/twitter)
Revolta de internautas sobre festa no rio
(foto: reprodução/twitter)
Reproducao 4
(foto: reprodução/twitter)
Reproducao5
(foto: reprodução/twitter)

14 mil mortes no Rio

O Rio de Janeiro alcançou a triste marca dos 14 mil mortos por Covid-19 no último dia do ano. Na semana passada, o estado entrou na bandeira vermelha na classificação de risco para o novo coronavírus — classificação que significa alto risco para a doença. É a primeira vez que isso acontece desde que o governo do estado começou a fazer esse monitoramento, em julho.

Cinco das nove regiões estão em bandeira vermelha: Metropolitana I, Baía da Ilha Grande, Serrana, Norte e Noroeste. Essas regiões concentram 75% da população do estado.

Um decreto, assinado dia 28 deste mês, pelo prefeito em exercício, Jorge Felippe, proíbe a realização de festas até o dia 01 de janeiro às 06h, justamente para tentar conter a disseminação da Covid-19 na cidade. Ou seja, a festa em Ipanema da madrugada do dia 31 não estava autorizada pela prefeitura.

A Prefeitura cancelou este ano os shows e a queima de fogos na orla de Copacabana no réveillon e montou um esquema com 54 pontos de bloqueio para controlar o acesso das pessoas à orla da cidade, do Leme ao Recreio, no Pontal. Entre as 20h do dia 31 — quando tradicionalmente as praias começam a lotar, sobretudo a de Copacabana — e às 3h do dia 1º, ônibus e vans não poderão mais entrar na região.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.