Prefeitura mapeia áreas vazias do Centro

Para tentar realizar um mapa atualizado das propriedades vazias do Centro Histórico do Rio de Janeiro, surge o programa “Centro para Todos”.

Rio de Janeiro – Para tentar realizar um mapa atualizado das propriedades vazias do Centro Histórico do Rio de Janeiro, surge o programa “Centro para Todos”, parceria da prefeitura do Rio com a Bloomberg Associates. O estudo tem como objetivo abordar a problemática dos vazios urbanos e títulos de propriedade no centro carioca. O projeto conta com o apoio da Procuradoria Geral do Município e do Instituto Pereira Passos (IPP). “Esta região passou por uma grande transformação urbana nos últimos anos. Queremos um Centro sempre mais limpo, organizado, iluminado, bonito e seguro. Este mapeamento será um censo com a identificação e a caracterização de imóveis vazios e subutilizados. Por meio da coleta de dados será possível identificar áreas de interesse e traçar estratégias para aproveitar as edificações e terrenos abandonados ou subutilizados, que nos últimos anos tanto colaboraram com a degradação do ambiente urbano do Centro”, explica o presidente do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH), Washington Fajardo.

Coordenadas pelo IRPH e utilizando tablets e um aplicativo específico, desenvolvido pelo IPP, três equipes de pesquisadores percorrem o centro, tiram fotos e anotam informações de prédios que não são utilizados ou que estão subtulizados. A expectativa é que, durante os próximos três meses sejam cadastrados 4.700 endereços. Entre os imóveis sem moradores estão belos sobrados e antigos galpões que têm janelas e portas lacradas. Muitos apresentam a fachada em péssimo estado de conservação e com aparência de abandono. O Centro para Todos foi lançado em 2015 pela Prefeitura do Rio com o objetivo de tornar a região central da cidade mais ordenada e conservada. No programa, equipes da prefeitura prestam serviços de forma planejada e integrada para transformar a imagem da região e atrair investimentos.

CentroÁreas de atuação no centro

Os profissionais vão trabalhar em nove áreas do programa. No primeiro mês, serão levantados e registrados os vazios urbanos da região da Praça Tiradentes, do Centro Financeiro e da Praça XV. Depois, serão coletados os dados das seis áreas restantes: Cinelândia, Lapa, Cruz Vermelha, Saara, Castelo e Campo de Santana. De acordo com os cálculos da prefeitura, a densidade de domicílios no Centro atualmente é de 41,5/10 mil m² e, segundo Washington Fajardo, mapear os vazios urbanos da região vai facilitar a expansão de negócios, moradia e turismo na área. Ele ainda explica que os donos dos imóveis não terão que se mudar ou serão obrigados a iniciar alguma atividade no imóvel.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.