Rio de Janeiro terá carnaval em julho todos os anos

O projeto de lei do deputado estadual Dionísio Lins (PP) foi aprovado e sancionado pelo governador interino do estado Cláudio Castro (PSC). RJ já tem carnaval tradicional adiado para o mesmo mês de 2021 devido à pandemia

O Rio de Janeiro decretou ontem (14) que o estado vai ganhar um “carnaval fora de época”, todo mês de julho anualmente. No calendário de datas oficiais do Estado, vai ser acrescentado o “CarnaRio”, para estimular o turismo. E a ação não foi estabelecida apenas por conta da Covid-19, que supostamente teria adiado o evento que acontece tradicionalmente em fevereiro, para julho. 

 

Por que o carnaval vai ser em julho?

O projeto é do deputado estadual Dionísio Lins (PP), aprovado na Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro) e sancionado pelo governador em exercício Cláudio Castro (PSC). A novidade foi publicada no Diário Oficial do governo do estado desta terça-feira (13), que determinou a inclusão do evento no calendário oficial fluminense. 

 

Segundo os idealizadores do projeto, que agora é lei, o evento foi criado para estimular o turismo no período de férias escolares e acadêmicas. O CarnaRio vai acontecer sempre na segunda quinzena de julho. Este novo evento não tem qualquer relação com a mudança do carnaval tradicional do Rio, adiado pela pandemia e que tem seus desfiles previstos para o período entre os dias 9 e 17 de julho de 2021.  O site da festa tradicional continua ativo e em contagem regressiva para o evento. 

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Blocos de carnaval vão contra aprovação do CarnaRio

A Sebastiana, Associação Independente dos Blocos de Carnaval de Rua da Zona Sul, Santa Teresa e Centro da Cidade do Rio de Janeiro, se manifestou contra o projeto de lei sancionado. A associação argumenta que não é hora para a decisão de uma festa no meio da pandemia da Covid-19 e ressalta que vê poucas possibilidades de acontecer carnaval este ano.

“Não é o momento de pensarmos em carnaval se a gente não sabe nem quando começa a vacinação. Ele não pode falar no nosso nome, como foi feito, que os blocos vão aderir. Os blocos não vão aderir a nada. Os blocos vão fazer carnaval quando tiver uma situação segura no Rio de Janeiro, que todos estiverem vacinados, que a imunização tiver sido alcançada. Aí a gente pode marcar o carnaval”, afirmou Rita Fernandes, presidente da Sebastiana.

O presidente da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), Jorge Castanheira, responsável pela organização dos desfiles do Grupo Especial do carnaval do Rio de Janeiro, disse à rede CNN Brasil que a entidade foi surpreendida com a sanção do projeto. 

“Nós nem sabíamos que tinha esse projeto, que agora se torna lei. Isso não tem nada a ver com o desfile do carnaval de 2021, que já tinha passado para julho. Mas ainda vamos sentar para conversar com o governo do estado, com o autor do projeto, para ver como isso (a participação das escolas de samba) pode acontecer nos próximos anos”, explica Castanheira. 

CarnaRio não divulgou medidas de segurança para evento

A lei ainda determina que a nova comemoração deverá contar com a participação das ligas, agremiações, blocos carnavalescos e também da Secretaria de Estado, responsável pela Cultura no Rio de Janeiro. Na publicação, no entanto, não há um detalhamento maior sobre a logística de segurança e de saúde do evento, por causa da pandemia, mas o Governo do RJ argumentou que todas as orientações das autoridades sanitárias serão seguidas no evento.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes