Servidores do Rio continuam sem receber salário de dezembro e 13º

Previsão de pagamento deve ser divulgada nesta segunda-feira (4), e pagamento do abono salarial pode sofrer parcelamento

Neste sábado (2), o prefeito Eduardo Paes (DEM) informou que a Prefeitura do Rio de Janeiro não tem dinheiro em caixa. Dessa maneira, não há previsão para quitar o salário de dezembro e o 13º salário dos servidores municipais do Rio. O secretário municipal da Fazenda, Pedro Paulo (DEM), deve dar previsão de pagamento até segunda-feira (4).

 

Previsões de pagamentos

O prefeito informou em sua ida à sede administrativa da prefeitura, para o primeiro dia de trabalho após a posse. Em suma, ele afirmou que o secretário municipal de Fazenda e Planejamento, o deputado federal licenciado Pedro Paulo (DEM),  pretende dar alguma previsão de pagamento até segunda-feira (4).

“Que não tem (dinheiro em caixa), eu tenho certeza. É muito difícil distribuir contracheque e não deixar o dinheiro em conta. A nossa realidade é que o governo (do ex-prefeito Marcelo) Crivella deixou duas folhas de pagamento, o 13º e a folha de dezembro descobertos. Nós vamos fazer todo o esforço do mundo e o secretário Pedro Paulo deve dar mais detalhes até a segunda-feira. Agora estamos tendo acesso às contas da prefeitura para ver como vai ser esse pagamento. É prioridade absoluta. O fato é que não deixaram qualquer recurso em caixa”, afirmou à imprensa.

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Salário dos servidores do Rio

Até o momento, portanto, apenas os trabalhadores ativos, inativos e pensionistas que ganham até R$ 3 mil receberam o abono – isso corresponde a 67 mil trabalhadores de 160 mil servidores. Assim, segundo o secretário de Fazenda, a Prefeitura do Rio precisa ter em seu caixa algo em torno de R$ 800 milhões para poder pagar a sua folha salarial.

“Nós precisamos fazer um trabalho de recomposição de caixa. Ou então vamos continuar vendendo o almoço para pagar a janta. A gente precisa ter um caixa suficiente para pagar os salários com as receitas do próprio mês, e não empurrar com as receitas dos meses seguintes”, argumentou.

Na sexta-feira (1), então, Paulo afirmou que não tem certeza de que vai honrar com o pagamento até o quinto dia útil do mês (8). “Amanhã mesmo (sábado, 2) vou começar a verificar os saldos das contas da prefeitura para saber se nós teremos condições de pagar o salário dos servidores no 5º dia útil”, afirmou.

Além disso, a situação do 13º para servidores municipais do Rio pode ser mais grave. “Possivelmente, nós vamos ter que discutir até mesmo o parcelamento”, pontuou. Segundo afirmações, então, o deficit herdado foi de R$ 10 bilhões.

 

Leia também:

Rio de Janeiro entra em estágio de atenção após chuvas e alagamentos

Saiba porque 5 estados não seguirão salário mínimo de R$ 1,1 mil

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes