Servidores do Rio continuam sem receber salário de dezembro e 13º

Previsão de pagamento deve ser divulgada nesta segunda-feira (4), e pagamento do abono salarial pode sofrer parcelamento

Neste sábado (2), o prefeito Eduardo Paes (DEM) informou que a Prefeitura do Rio de Janeiro não tem dinheiro em caixa. Dessa maneira, não há previsão para quitar o salário de dezembro e o 13º salário dos servidores municipais do Rio. O secretário municipal da Fazenda, Pedro Paulo (DEM), deve dar previsão de pagamento até segunda-feira (4).

 

Previsões de pagamentos

O prefeito informou em sua ida à sede administrativa da prefeitura, para o primeiro dia de trabalho após a posse. Em suma, ele afirmou que o secretário municipal de Fazenda e Planejamento, o deputado federal licenciado Pedro Paulo (DEM),  pretende dar alguma previsão de pagamento até segunda-feira (4).

“Que não tem (dinheiro em caixa), eu tenho certeza. É muito difícil distribuir contracheque e não deixar o dinheiro em conta. A nossa realidade é que o governo (do ex-prefeito Marcelo) Crivella deixou duas folhas de pagamento, o 13º e a folha de dezembro descobertos. Nós vamos fazer todo o esforço do mundo e o secretário Pedro Paulo deve dar mais detalhes até a segunda-feira. Agora estamos tendo acesso às contas da prefeitura para ver como vai ser esse pagamento. É prioridade absoluta. O fato é que não deixaram qualquer recurso em caixa”, afirmou à imprensa.

 

Salário dos servidores do Rio

Até o momento, portanto, apenas os trabalhadores ativos, inativos e pensionistas que ganham até R$ 3 mil receberam o abono – isso corresponde a 67 mil trabalhadores de 160 mil servidores. Assim, segundo o secretário de Fazenda, a Prefeitura do Rio precisa ter em seu caixa algo em torno de R$ 800 milhões para poder pagar a sua folha salarial.

“Nós precisamos fazer um trabalho de recomposição de caixa. Ou então vamos continuar vendendo o almoço para pagar a janta. A gente precisa ter um caixa suficiente para pagar os salários com as receitas do próprio mês, e não empurrar com as receitas dos meses seguintes”, argumentou.

Na sexta-feira (1), então, Paulo afirmou que não tem certeza de que vai honrar com o pagamento até o quinto dia útil do mês (8). “Amanhã mesmo (sábado, 2) vou começar a verificar os saldos das contas da prefeitura para saber se nós teremos condições de pagar o salário dos servidores no 5º dia útil”, afirmou.

Além disso, a situação do 13º para servidores municipais do Rio pode ser mais grave. “Possivelmente, nós vamos ter que discutir até mesmo o parcelamento”, pontuou. Segundo afirmações, então, o deficit herdado foi de R$ 10 bilhões.

 

Leia também:

Rio de Janeiro entra em estágio de atenção após chuvas e alagamentos

Saiba porque 5 estados não seguirão salário mínimo de R$ 1,1 mil

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.