Ruas do Brás viram ‘formigueiro’ em sábado de compras em São Paulo

A Prefeitura de São Paulo estendeu o horário de funcionamento dos comércios de rua e shoppings de 10 para 12 horas, para evitar aglomerações.

Com o fim de ano chegando, as pessoas começam a sair mais para realizar as compras. Por conta disso, as aglomerações começam a surgir novamente, principalmente em comércios de rua e shoppings. O Brás, bairro com muitas lojas, estava lotado de pessoas neste fim de semana, que estavam indo às compras, além de ambulantes vendendo na calçada.

O cenário seria normal em outras épocas, mas com a pandemia da COVID-19, um ambiente lotado de pessoas é propício para a propagação do vírus.

Brás com ruas lotadas em sábado de compras

Segundo uma reportagem feita pelo G1, na manhã deste sábado (12), as ruas do Brás estavam cheias de consumidores indo às lojas e de vendedores ambulantes nas calçadas. O motivo principal da aglomeração são as compras de fim de ano, que sempre tiram as pessoas de casa.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Contudo, pode ser perigoso sair para lugares com grande concentração de gente, como ocorreu no fim de semana no Brás.

Além disso, partir deste sábado, os comércios de rua e shoppings podem funcionar em horário estendido de 10 horas para 12 horas, para evitar aglomerações nas compras de fim de ano.

Contudo, a Prefeitura de São Paulo afirmou, em nota, que fiscaliza diariamente o comércio e que tem o apoio da Guarda Civil Metropolitana.

Brás com ruas lotadas
Foto: Reprodução/TV Globo

Segundo em número de mortes

Um motivo para ficar atento antes de ir às compras no Brás é que o bairro é o segundo com maior número de mortes por COVID-19, atrás apenas de Belém, na zona leste de São Paulo.

De acordo com o G1, no Brás, que fica na região central, foram registradas 267 mortes por covid-19 para cada grupo de 100 mil habitantes e no Belém, na zona leste, são 271 mortes.

Em seguida, estão os bairros Água Rasa, zona leste, com 265 mortes por 100 mil habitantes, Freguesia do Ó, zona norte, 252 registros e Mooca, zona leste, com 250 vítimas fatais pela covid-19 em grupo de 100 mil habitantes.

Já os bairros que tiveram menor taxa por 100 mil habitantes são: Anhanguera, na zona norte, com 109 mortes; Vila Andrade, zona sul, 118; Grajaú, zona sul, 128; São Rafael, zona norte, com 131, e Pedreira, zona leste, contabilizou 134 mortes em grupo de 100 mil habitantes.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes