Caixa planeja vender suas quatro subsidiárias

O presidente da Caixa Econômica Federal informou ontem que pretende vender todos os ativos que não fazem parte da atividade principal do banco.

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, informou ontem que pretende vender todos os ativos que não fazem parte da atividade principal do banco, sendo quatro subsidiárias nas áreas: de loterias, seguros, cartões e gestão de recursos. Em evento do banco Credit Suisse para investidores, em São Paulo, Guimarães explicou que a ideia não é vender 100% da participação da Caixa, mas fazer uma abertura de capitais aos poucos. Ele afirmou que pelo menos dois ativos serão vendidos ainda este ano e que o primeiro deve ser o de loterias.

O presidente da Caixa destacou que, até junho de 2020, em uma previsão que ele mesmo considera conservadora, as quatro subsidiárias estarão com o capital aberto. Segundo Guimarães, a venda de subsidiárias ajudará a Caixa Econômica a pagar aportes da União no banco no total de R$ 40 bilhões. O presidente da Caixa acrescentou que pretende abrir capital dos ativos nas bolsas de valores de São Paulo, a B3, e na de Nova York (Nyse). Guimarães disse também que a Caixa tem a meta de fazer R$ 100 bilhões em securitização (venda de direitos a receber) de crédito imobiliário, investir no mercado de maquininhas de cartão e cartão de crédito consignado.

EstradaMinistro reafirma intenção de concessão da BR-163

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, reafirmou hoje (30) a intenção do governo federal de conceder à iniciativa privada o trecho da BR-163 entre Sinop, em Mato Grosso, e Miritituba, no Pará. Segundo o ministro, a previsão é que o leilão de concessão ocorra no fim deste ano ou no início do próximo. A rodovia é considerada estratégica para o escoamento da safra de grãos produzidos no Centro-Oeste até os portos do Região Norte para a exportação.

O anúncio da intenção de privatizar a rodovia até o fim do ano foi feito hoje (30), em entrevista coletiva, da qual participam os ministros da Agricultura, Tereza Cristina; Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro; e Defesa, general Fernando Azevedo, para apresentar um balanço da Operação Radar. Freitas acrescentou que o governo trabalha para realizar 23 leilões de privatização de 23 portos, aeroportos, rodovias e ferrovias nos primeiros 100 dias do governo Jair Bolsonaro. Atualmente, dois trechos da BR-163 não estão asfaltados 2013 o primeiro, de 51 quilômetros, é o que será concedido. De acordo com o ministro, a prioridade do governo é concluir o asfaltamento do trecho até o final do ano antes de realizar o leilão.

/Agência Brasil

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.