Restituição do Imposto de Renda: consulta abre hoje (23/11)

Nesta segunda-feira, a Receita Federal libera consulta a lote residual de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF). Nota-se que cerca de 200 mil cidadãos que haviam caído na malha fina, acertaram sua situação e devem receber os valores devidos no dia 30 de novembro, uma segunda-feira.

Onde consultar lote residual do Imposto de Renda?

É possível consultar o lote residual de restituição do Imposto de Renda no site da Receita Federal. Bem como, pelo Centro de Atendimento Virtual da Receita (e-CAC) e através do telefone 146.

Nota-se que, a orientação para quem não teve a declaração liberada é verificar pendências no portal e-CAC. E a partir disso regularizar a situação por meio de declaração retificadora. Para acessar o e-CAC é preciso usar um código digital, aqueles que não tem esse código devem informar o número do recibo das duas últimas declarações do Imposto de Renda.

Depósito da restituição

A saber, o depósito da restituição do Imposto de Renda é feito na conta indicada pelo contribuinte na declaração. Quem não informou a conta ou informou o número errado, deve ir a uma agência do Banco do Brasil ou ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos). Sendo assim, deve-se agendar o crédito em conta conta corrente ou poupança em qualquer banco instituição bancária.

O dinheiro ficará disponível no banco durante um ano. Se o trabalhador não retirar o valor nesse período, deverá pedi-lo pela internet. O procedimento é acessar o site da Receita Federal e clicar em “Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição”. Ou ainda, acessar o e-CAC e optar pelo serviço “Meu Imposto de Renda”.

Por fim, ao todo 198.967 contribuintes serão beneficiados. O valor total das restituições é de R$ 399 milhões. Desse montante, R$ 143,88 milhões serão pagos a 45.394 pessoas com 60 anos ou mais, contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou doença grave e contribuintes cuja principal fonte de renda seja o magistério.

Com informações de Agência Brasil.

 

Leia também:

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.