MEI: veja como recolher o INSS complementar e aumentar benefícios

O MEI pode optar por pagar o INSS complementar e conseguir o direito a aposentadoria por tempo de contribuição

Um dos compromissos no MEI é pagar a contribuição ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), de modo a garantir sua aposentadoria e outros benefícios previdenciários. Esse recolhimento é de 5% sobre o salário mínimo, mas o MEI pode optar por pagar o INSS complementar e conseguir o direito a aposentadoria por tempo de contribuição e valores maiores de benefício.

Como o MEI recolhe o INSS?

O microempreendedor individual faz sua contribuição ao INSS através do pagamento da guia do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS). A qual também reúne os tributos de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e/ou Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS).

O valor dessa guia mensal é fixo, e no caso do INSS equivale a 5% do salário mínimo vigente. Com esse salário em R$ 1.100 em 2021, o resultado do recolhimento é de R$ 55 ao mês.

Qual o valor dos benefícios para o MEI?

Por contribuir com 5% do salário mínimo, os benefícios previdenciários do MEI serão pagos no valor de um salário mínimo, quando devidos. Ao passo que, se constar contribuições além do trabalho como microempreendedor, o pagamento pode ser superior.

O MEI pode ter acesso aos benefícios de aposentadoria por idade, aposentadoria por invalidez, auxílio-doença e salário-maternidade. Bem como, os dependentes do empreendedor podem receber a pensão por morte e o auxílio-reclusão.

Confira o tempo de carência a ser cumprido para ter direito a cada benefício, além de cumprir seus requisitos:

  • Aposentadoria por idade: mínimo de 15 anos de contribuição;
  • Aposentadoria por invalidez: mínimo de 12 contribuições mensais;
  • Auxílio-doença: carência de 12 meses de contribuição;
  • Salário-maternidade: carência de 10 meses de contribuição;
  • Pensão por morte: mínimo de 18 contribuições mensais;
  • Auxílio-reclusão: mínimo de 24 contribuições mensais.

Como o MEI pode recolher o INSS complementar?

Nota-se que o MEI pode pagar o INSS complementar, de modo a contribuir acima dos 5% obrigatórios a sua categoria. Ao complementar com 15% e atingir o plano normal de contribuição do INSS, que tem a alíquota de 20%. Nessa modalidade, o empreendedor passa a ter direito a aposentadoria por tempo de contribuição, além de todos os outros benefícios do INSS.

Para pagar o INSS complementar, o MEI deve emitir a Guia da Previdência Social (GPS), a qual pode ser preenchida pela internet ou pode ser encontrada em papelarias. Ao adquirir, basta inserir o código 1910, que é referente a complementação mensal do MEI, e inserir o valor do recolhimento.

No plano normal, o valor mínimo de contribuição é sobre o salário mínimo, o que resulta em em R$ 220 mensais. Ao passo que o valor máximo é sobre o teto previdenciário, resultando em R$ 1.286,71 por mês.

Quem pode ser MEI?

A modalidade do microempreendedor individual é destinada a quem trabalha por conta própria e deseja se formalizar, bem como para quem está planejando iniciar um negócio. O faturamento anual do MEI pode ser de até R$ 81 mil.

Além disso, esse empreendedor não pode participar como sócio, administrador ou titular de outra empresa. Bem como, deve exercer uma das atividades previstas para a categoria e pode contratar apenas um funcionário.

A inscrição para criar um CNPJ do MEI é gratuita e pode ser feita pela internet. Uma das etapas é criar uma conta Brasil Cidadão.

 

Leia também:

Conheça todos os benefícios previdenciários que o MEI tem direito

Saiba como emitir a guia DAS MEI 2021 e garantir benefícios

Como consultar o MEI pelo CPF? Confira o passo a passo

Mostrar comentários (1)

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes