Hypera Pharma: quem é o comprador dos naming rights da Arena Corinthians

Dez anos depois do anúncio do projeto da Arena Corinthians, o clube finalmente negocia os naming rights do estádio com a Hypera Pharma

Dez anos depois do anúncio do projeto da Arena Corinthians, o clube finalmente negocia os naming rights do estádio. O conglomerado farmacêutico Hypera Pharma, sediado em São Paulo, deverá comprar o direito ao nome do local. A informação foi publicada pelo site UOL e confirmada por Veja e Máquina do Esporte.

No entanto, ainda não há confirmação sobre qual das marcas pertencentes ao grupo dará nome ao estádio. A Hypera Pharma é dona do laboratório farmacêutico Neo Química, favorito a batizar a Arena. Os adoçantes Adocyl, Finn e Zero-Cal também pertencem à empresa, assim como o laboratório Mantecorp.

Hypera Pharma e o Corinthians

A relação da Hypera Pharma com o Corinthians é antiga. Afinal, até 2017, a companhia se chamava Hypermarcas. A mesma empresa que assinou contrato com o clube após a chegada de Ronaldo Fenômeno, em 2009. Assim, marcas como Avanço, Jontex e a própria Neo Química estamparam a camisa alvinegra.

O Corinthians ainda não confirmou a venda dos naming rights. A expectativa é de que o anúncio oficial aconteça na próxima terça-feira, dia 1º de setembro, aniversário de 110 anos do clube. Nesta data, haverá um evento na Arena transmitido pela Corinthians TV.

Pelo Twitter, o presidente corintiano Andrés Sanchez despistou sobre a confirmação do comprador dos naming rights do estádio e postou uma mensagem enigmática. “Tem gente cravando, tem gente barrigando, tem gente que tá torcendo pra não ser verdade. Eu só sei que vou ter que aprender inglês e mandarim”, escreveu.

Valores do contrato

De acordo com o site Máquina do Esporte, dois nomes estão na disputa para batizar o estádio do Corinthians: Hypera Arena e Neo Arena. Assim, a empresa deverá desembolsar R$ 350 milhões por 20 anos. Valor que supera os R$ 300 milhões pagos pela Allianz ao Palmeiras.

A Hypera Pharma também deverá distribuir os nomes de suas marcas a cada um dos quatro setores da Arena Corinthians. Além disso, planeja instalar farmácias com seus produtos no estádio. A arena entregue em 2014 custou cerca de R$ 985 milhões e estima-se que a dívida do clube pela sua construção esteja em torno de R$ 500 milhões.

Através da Máquina do Esporte UOL
Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.