Qual jogador de futebol deu cambalhota na rampa do Planalto em 2002?

Em 2002, o Brasil conquistou o penta na história do futebol, com um episódio que ficou marcado na comemoração

Em 2002, com Ronaldo Fenômeno, Cafu, Ronaldinho e Roberto Carlos, a Seleção tornou-se pentacampeão, sendo a única a conquistar cinco títulos de Copa do Mundo. Na comemoração, um dos episódios que ficaram marcados foi o jogador de futebol que deu cambalhota na rampa do Planalto. Você se lembra quem foi? A seguir, relembramos a história.

Qual jogador de futebol deu cambalhota na rampa do Planalto?

O jogador Vampeta, ex-jogador de futebol e ídolo da Seleção e do Corinthians, foi quem deu cambalhota na rampa do Planalto. O caso aconteceu em 2002, logo após a Seleção Brasileira vencer o hexacampeonato na Copa do Mundo na Coreia do Sul e Japão contra a Alemanha na final.

O Brasil chegou preparado com uma grande escalação de estrelas para disputar a Copa do Mundo em 2002. Sob o comando de Felipão, jogadores como Cafu, Roberto Carlos, Ronaldo Fenômeno, Kaká e Rivaldo.

Pelo grupo C, terminou em primeiro lugar com 9 pontos depois de vencer os três jogos. Nas oitavas de final, venceu a Bélgica por 2 a 0 com gols de Rivaldo e Ronaldo. Depois, nas quartas, a Inglaterra por 2 a 1 com marcações de Rivaldo novamente e Ronaldinho.

Na semifinal, venceu a Turquia com gol de Ronaldo. Na final, o elenco brasileiro entrou preparado para enfrentar uma das favoritas, a Alemanha. Em 30 de junho de 2002, no Estádio Internacional de Yokohama, a Seleção bateu os alemães com dois gols de Ronaldo, coroando o penta.

Na volta ao Brasil, a equipe recebeu todo o carinho e o amor dos torcedores em uma recepção de festa. Entretanto, um fato entre a comemoração ficou marcado na história do título. Em 2 de julho de 2002, a seleção seguiu até o Palácio do Planalto, em Brasília, para ser recepcionada pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso.

Em uma terça-feira quente na capital, os jogadores posaram para uma foto com a figura maior do Brasil quando Vampeta, em comemoração ao título e exalando felicidade, aproveitou para dar uma cambalhota na rampa do Planalto, deixando até mesmo torcedores preocupados e surpresos com a ideia naquele momento.

O momento rodou o país e arrancou risadas do público. Já Vampeta, hoje, se lembra com carinho do ocorrido, principalmente porque o momento se concedeu após a conquista do penta.

Relembre a seguir o momento na história em que Vampeta deu a cambalhota no Planalto.

Aproveite e siga o DCI no Google News e acompanhe tudo sobre a esportes e as últimas notícias do Brasil e do Mundo.

Vampeta comenta caso de rampa no Planalto

Em junho de 2021, Vampeta concedeu entrevista ao programa Direto ao Ponto, da Jovem Pan News, onde relembrou a história da rampa do Planalto dois dias após a conquista do penta da Copa do Mundo de 2002.

A comemoração junto à família, amigos e torcedores deixou o atleta em êxtase, responsável por agir por emoção no calor do momento. Na entrevista, Vampeta desvendou tudo o que aconteceu até o momento no Planalto.

“A gente bebe sem ganhar nada, imagina sendo campeão do mundo. Começou no Japão, o Brasil foi campeão a gente veio de avião, viemos bebendo, os jogadores na classe executiva, quem levou família. Alguns repórteres que foram no voo fretado da Seleção na econômica. Eu estava virado, todo mundo dormindo da festa que foi em Tóquio. 

Na altitude, o álcool vale por três. Paramos em Los Angeles, abastecemos o avião. Chegamos no espaço aéreo brasileiro e desembarcamos em Brasília. Fomos para o trio da Ivete Sangalo para ir ao Planalto. O povo todo na rua e muita festa. O torcedor do Corinthians jogou a camisa do Corinthians e eu peguei e coloquei”.

A partir daí, Vampeta contou o momento exato em que decidiu dar a cambalhota na rampa do Planalto, um momento que ficou marcado na história do título.

“Até chegar no Planalto, eu ficava bom e ficava ruim. Eu abraçava a Ivete e cantava. Chegamos na rampa do Planalto e o Fernando Henrique Cardoso homenageando todo mundo. Eu falei assim:’ Quando chegar a minha vez eu vou dar uma cambalhota’. Aí vem a pilha dos caras falando ‘eu duvido’. Quando ele me chama, eu dou aquelas cambalhotas que eu vejo hoje e penso que Deus é tão bom que eu não quebrei a cabeça e não tive nada, mas podia.

Eu dei, voltei. A minha medalha cai. O Edílson foi e pegou e dali nós tínhamos que ir para o Rio e para São Paulo”.

Assista a entrevista em que Vampeta fala sobre o ocorrido.

 

Times brasileiros na Libertadores 2022 disputam fase prelimina

Você pode gostar também