Gabriel Medina é campeão mundial de surfe, veja como foi a final

Brasileiro enfrentou na decisão o conterrâneo, Filipe Toledo, e chega a marca história de ser três vezes campeão mundial da modalidade.

Em final brasileira, Gabriel Medina derrotou Filipe Toledo e foi campeão pela terceira vez da World Surf League (WSL), nesta terça-feira, 14, em San Clemente, na Califórnia. Vencedor em 2014, 2018 e agora 2021, o brasileiro se junta a lendas como Tom Curren (EUA), Andy Irons (HAV) e Mick Fanning (AUS). Veja como foi a final:

Gabriel Medina é campeão pela 3ª vez da WSL

Medina chegou à decisão e abriu sua bateria com uma nota 5, enquanto Toledo conquistou um 7 logo de cara e botou “fogo” na decisão tupiniquim.

Filipe Toledo abriu a disputa com uma nota 7
Filipe Toledo abriu a disputa com uma nota 7 – Imagem: Reprodução/ESPN

No entanto, Gabriel virou a bateria em onda espetacular e garantiu um 7.30. O surfista de Ubatuba então na sequência conseguiu um 8,33 com um backside, mas o futuro tricampeão conseguiu na mesma rodada decolar um aéreo frontside grab e conquistar um 9.00.

Para virar a primeira bateria, Filipinho precisava de uma nota superior a 7,98, mas ao garantir 7,37 e substituir sua segunda nota, chegou a 15.70. Já Gabriel, chegou a 16.30 e venceu a primeira parte da competição entre os dois.

Gabriel Medina voa para garantir liderança da bateria 1
Gabriel Medina voa para garantir liderança, antes de ser campeão – Imagem: Reprodução/ESPN

Na segunda bateria, Toledo precisava da vitória e começou a série com um 7.83, enquanto Medina tirou 6.83. No entanto, o surfista de São Sebastião conseguiu virar. Em sequência de batidas, rasgadas e finalização com um aéreo reverse, retomou a liderança da bateria com uma nota 8.50. Já Filipinho conquistou um 7.01.

Gabriel Medina engatou sequência e finalizou com um aéreo para assumir a liderança da bateria 2
Gabriel Medina engatou sequência e finalizou com um aéreo para assumir a liderança da bateria 2 – Imagem: Reprodução/ESPN

A 18 minutos do fim da bateria, a organização avistou um tubarão de cerca de 2 metros, próximo ao pico de Trestles. Por isso, os surfistas pararam a disputa e quando o animal se afastou do local, o duelo recomeçou com mais um show de Medina.

Primeiro, Toledo arrancou um 8.53 para manter as esperanças de título, mas Gabriel Medina pegou uma onda da esquerda e lançou um backflip com nota 9.01 para ser campeão da WSL e conquistar o seu tricampeonato. Resultado final da segunda bateria: 17.53 a 16.36.

Sistema de disputa

A WSL optou por um modelo completamente diferente do tradicional nesta final do surfe. Líder do ranking mundial e agora campeão por 3x, Gabriel Medina esperou para saber quem iria enfrentar na decisão. Antes de entrar no mar, três confrontos ocorreram, mas para definição do segundo finalista.

Na primeira disputa, o americano Conner Coffin (4º do ranking) e o australiano Morgan Cibilic (5º) se enfrentaram em uma espécie de oitavas de final. Melhor para o norte-americano que venceu por 15 x 9,84 e enfrentou o brasileiro Filipe Toledo (3º do ranking) nas quartas. Por 16,57 a 14,33 Toledo garantiu a classificação e enfrentou o medalhista de ouro, Ítalo Ferreira (2º), na semifinal.

O confronto tupiniquim na semi já garantiu o título para o Brasil na decisão. Em duelo apertado, Filipinho venceu 15,97 a 12,44 e chegou a grande decisão para enfrentar Gabriel Medina, que apenas esperou para saber quem seria seu adversário na decisão.

Confira os resultados das baterias da WSL Finals:

Oitavas de final 
Conner Coffin (EUA) 15 x 9.84 Morgan Cibilic (AUS)

Quartas de final
Filipe Toledo (BRA) 16.57 x 14.33 Conner Coffin (EUA)

Semifinal
Italo Ferreira (BRA) 12.44 x 15.97 Filipe Toledo (BRA)

Final
Gabriel Medina (BRA) 17.53 x 16.36 Filipe Toledo (BRA)

 

LEIA TAMBÉM

+ Entenda por que a etapa do Taiti foi cancelada no Mundial de Surfe 2021

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes