Zebras do Paulistão: relembre os campeões mais inusitados do torneio

Nem sempre o título fica com os grandes: veja os times do interior que já foram zebras do Paulistão

Corinthians, Santos, Palmeiras e São Paulo. Na ordem, estes são os clubes mais vitoriosos do Campeonato Paulista. Os quatro grandes estão

acostumados a se alternar na lista de campeões do torneio. No entanto, de tempos em tempos, aparecem as zebras do Paulistão. 

Ao olhar para a história do campeonato, que começa em 1902, logo se percebe que as primeiras edições foram dominadas por times que não existem mais. Tais como Paulistano, São Paulo Athletic, Germânia, Internacional e Americano. 

Mas estes times não podem ser considerados zebras do Paulistão, afinal, reuniam os melhores jogadores em uma época em que o futebol nem era profissionalizado. O mais antigo entre os clubes grandes, portanto, é o Corinthians, fundado em 1910. Assim, o Alvinegro é o maior vencedor do torneio, com 30 títulos. 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O Palmeiras, fundado em 1914 como Palestra Itália, vem logo em seguida com 22 títulos. Mesmo número do Santos, clube criado em 1912. Já o São Paulo só passou a existir em 1930, e ainda assim possui 21 troféus. A Portuguesa, também da capital, tem três. Depois deles, então, chega a vez de listar as maiores zebras do Paulistão. 

Zebras do Paulistão

Inter de Limeira

Inter de Limeira, primeira das zebras do Paulistão
Divulgação/A.A. Internacional

Na época em que estava acostumada a figurar na elite do Campeonato Brasileiro, a Inter de Limeira desbancou o Palmeiras na decisão de 1986 e se tornou o primeiro time do interior a conquistar o estadual de São Paulo.

Primeira das grandes zebras do Paulistão, a Associação Atlética Internacional de Limeira era treinada por Pepe, que fez história ao lado de Pelé como jogador no Santos. Depois de ser campeã do segundo turno, a Inter encarou justamente o Santos na semifinal. Venceu os dois jogos e se classificou para a decisão. 

O adversário na final seria o Palmeiras, que estava há 10 anos sem levantar o troféu. Com um empate sem gols no jogo de ida e uma vitória por 2 a 1 no duelo decisivo, a Inter de Limeira assegurou o título inédito e inaugurou a era das zebras do Paulistão. Já o Palmeiras amargaria mais sete anos de jejum no estadual. 

Bragantino

Depois da entrada de novos investimentos e da mudança do nome para Red Bull Bragantino, o time de Bragança Paulista fez a melhor campanha da fase de grupos do Paulistão 2020. Assim, nem seria tanta surpresa se ficasse com o título. No entanto, há 30 anos, a situação era diferente. Por isso, a “final caipira” de 1990 é, até hoje, considerada a mais inusitada da história do campeonato.

A decisão de 1990 teve não apenas uma, mas duas zebras do Paulistão: Bragantino e Novorizontino. Comandado por Vanderlei Luxemburgo, o Bragantino foi o primeiro colocado do grupo que tinha Palmeiras e Santos. Na outra chave, o Novorizontino, treinado por Nelsinho Baptista, desbancou o Palmeiras e foi à final.

Além dos técnicos, que ganhariam fama no futebol brasileiro, a final caipira contou com três jogadores que seriam tetracampeões com a seleção brasileira. O zagueiro Márcio Santos e o atacante Paulo Sérgio defendiam o Novorizontino, enquanto o volante Mauro Silva estava no Bragantino. A decisão foi disputada: depois da prorrogação, o empate por 1 a 1 persistiu e o Bragantino levou a taça por ter feito a melhor campanha.

 

São Caetano

Para um time que já tinha chegado a duas finais de Campeonato Brasileiro e era comandado pelo técnico Muricy Ramalho, fica até difícil colocá-lo em uma lista de zebras do Paulistão. Pena que, desde o título de 2004, o São Caetano não conseguiu repetir seus grandes feitos. Atualmente, está na Série A2 do Paulistão e na Série D do Brasileirão.

Naquele ano, o São Caetano entrou no campeonato com um elenco forte, que contava com nomes como o atacante Euller, o lateral-esquerdo Gilberto (que jogava como meia) e o volante Mineiro, que no ano seguinte faria o gol do título mundial do São Paulo.

A final também foi “caipira”: depois de passar por São Paulo e Santos, o São Caetano encarou o Paulista de Jundiaí, que havia desbancado Ponte Preta e Palmeiras. Com duas vitórias nos dois jogos decisivos, o time do ABC assegurou o seu primeiro e único título estadual.

 

Ituano

Última das grandes zebras do Paulistão, o Ituano conquistou o troféu de 2014 após desbancar o Santos na decisão por pênaltis. Antes, o time gerido por Juninho Paulista e treinado por Doriva já tinha eliminado o Palmeiras na semifinal, além do Corinthians, que ficou ainda na fase de grupos.

Mas não foi o primeiro título paulista do time de Itu, que já havia soltado o grito de campeão 12 anos antes. O Paulistão de 2002, no entanto, foi totalmente atípico, pois não teve final e nem a participação dos clube grandes, que disputavam o Torneio Rio-São Paulo. Assim, o Ituano se sagrou vencedor após liderar nos pontos corridos.

 

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes