Bitcoin chegará em US$ 100 mil, diz Mike McGlone, da Bloomberg

A chance do Bitcoin chegar a US$ 100 mil ainda este ano é consideravelmente maior do que regredir a US$ 20 mil, disse o estrategista sênior de commodities da Bloomberg, Mike McGlone.

A chance do bitcoin chegar a US$ 100 mil ainda em 2021 é consideravelmente maior do que regredir a US$ 20 mil, afirmou o estrategista sênior de commodities da Bloomberg, Mike McGlone. A avaliação, divulgada na edição de junho do relatório Bloomberg Galaxy Crypto Index, o bitcoin está “mais forte, mais verde e menos estendido” do que durante o auge da alta, em abril.

Por esse motivo, é mais provável que a principal criptomoeda retorne ao ciclo de alta e alcance a máxima histórica tão sonhada por investidores, do que sofra uma correção mais profunda e volte aos valores de 2017.

“A fundação do bitcoin 2021 é firme (…) Perto do final de 2020, a história do bitcoin sugeria que a criptografia aumentaria drasticamente em 2021, e vemos melhorias no suporte para isso”, escreveu Mike McGlone no relatório.

Uma alta exagerada, continua, o endurecimento das restrições na China e o foco injustificado no consumo de energia da rede bitcoin foram os principais motivos para a correção de maio, com uma redução que ultrapassou os 50%, considerando a máxima histórica acima de US$ 64,4 mil, atingida pouco antes.

“Em 2020, a volatilidade de 260 dias caiu para o menor nível de sempre em comparação com a maioria das principais classes de ativos, notavelmente o S&P 500. Adicione o corte de oferta do ano passado, a migração para carteiras institucionais, futuros Ethereum e o lançamento de ETFs no Canadá e na Europa, e vemos um potencial maior para o Bitcoin chegar a US$ 100.000 do que sustentar abaixo de US$ 20.000”, avaliou.

Análise sobre o preço do Bitcoin

Apesar das boas notícias para os investidores nesta avaliação, os analistas de mercado estão divididos sobre como o valor do bitcoin vai progredir a curto e médio prazos. 

No pior cenário, especula-se que o valor da criptomoeda poderia baixar para até US$ 16 mil. Peter Brandt, trader veterano, é um dos que acreditam que o pior da correção de preços do BTC pode não ter acabado.

Já Bob Loukas, teórico de ciclo do mercado, diz que há boa chance de que a criptomoeda tenha atingido o mínimo no último mês, embora preveja risco de tendência de baixa intermediária para os próximos 60 dias.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes