Yuan digital vai utilizar contratos inteligentes e combater o AliPay

Afirmação veio do ex-diretor do Banco Popular da China, para quem bancos centrais precisam inovar a moeda

O ex-diretor do Banco Popular da China (PBoC), Yao Qian, disse que o yuan digital usará contratos inteligentes e será construído para combater as plataformas de pagamento projetadas por conglomerados privados, do tipo da Alipay, do Alibaba Group. A afirmação foi feita durante o Fórum Financeiro Internacional em Pequim, quando Qian disse que simplesmente simular o dinheiro físico não será suficiente para que o yuan digital alcance o sucesso e, para se beneficiar totalmente de ser digital, o ideal é o uso de contratos inteligentes.

Ainda segundo a avaliação de Qian, os bancos centrais precisam inovar a moeda fiduciária legal para acompanhar a digitalização e enfrentar a grande quantidade de criptomoedas. O Banco Central Europeu, o Banco do Japão e o Banco Central do Canadá seriam alguns dos exemplos de como se trabalhar moedas digitais inteligentes baseadas em contratos apontados pelo ex-diretor. 

O Yuan Digital

Ele observou que, inicialmente, a criação do yuan digital era uma estratégia da China para conter o impacto das plataformas de pagamento privadas, que se tornaram cada vez mais populares, possivelmente implicando no onipresente serviço de pagamentos do país, Alipay. 

Ele reforçou que, apesar disso, o governo chinês não desenvolveu o yuan chinês como ferramenta de vigilância para rastrear as transações financeiras no país. 

“O yuan digital precisa alcançar um equilíbrio entre a proteção da privacidade dos usuários e a repressão a crimes como lavagem de dinheiro, evasão fiscal e financiamento do terrorismo”, avaliou.

Qian também explicou que, caso Moedas Digitais de Banco Central (CBDC), como o dólar digital e o yuan digital, funcionarem diretamente em redes de blockchain como Ethereum e Diem, os bancos centrais podem fornecê-las aos usuários sem intermediários, com as operações em camadas permitindo que a moeda digital beneficie melhor as pessoas sem conta em banco e promova uma inclusão financeira. 

Yao Qian, que atualmente é diretor do Escritório de Supervisão de Ciência e Tecnologia da Comissão Reguladora de Valores Mobiliários da China, participa do desenvolvimento do yuan digital desde o início, em 2014, e chegou a receber o apelido de “Chinese crypto dad”, ou o “Pai Chinês do Crypto”.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes