Eleições 2020: São Paulo bate recorde no número de abstenções

Neste ano, muitos eleitores optaram por não comparecer às urnas e não dar o voto em nenhum candidato. Quem não votou, deve justificar a ausência.

Eleições 2020 – O Brasil teve um recorde no número de abstenções nos últimos domingos de votação. Por conta da pandemia do coronavírus, muitas pessoas optaram por não comparecer às urnas e não exercer o direito do voto. No primeiro turno, o índice de abstenções foi de cerca de 23% no território nacional, segundo dados do Tribunal Eleitoral Superior (TSE).

São Paulo

A capital paulista bateu recorde de abstenções também, nunca tantas pessoas deixaram de ir às urnas desde 1996 em São Paulo. No primeiro turno o índice foi de 29,9%, já no segundo de 30,8%, números acima da média nacional. 2.768.924 eleitores não foram votar neste domingo (29), número supera os votos de Boulos, que recebeu , 2.168.109 votos. Enquanto isso, Covas recebeu 3.169.121 votos. Votos nulos e brancos somaram mais de 879 mil.

Em São Paulo, o número de abstenções aumentou, contudo o número de votos válidos cresceu. Isso se deve ao fato de que os votos brancos e nulos diminuíram.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

documentos pessoais; validade do rg
Foto:Reprodução/GoogleImages

Outras capitais – Eleições 2020

O índice de abstenções não cresceu apenas em São Paulo, outras capitais registraram o mesmo aumento. No Rio de Janeiro, o número de eleitores que se abstiveram foi maior do que os votos de Eduardo Paes (DEM), que foi eleito na capital. Mais de 1,7 milhão de eleitores não foram às urnas. Paes recebeu 1,6 milhão de votos. Derrotado, Marcelo Crivella (Republicanos) teve 913 mil votos.

O mesmo cenário se repetiu em Goiânia, em que Maguito Vilela (MDB) foi eleito com 277 mil votos, cerca de 27 mil a mais que o adversário Vanderlan Cardoso (PSD). Números bem abaixo dos quase 357 mil registros de abstenção na capital do Estado.

Primeiro turno – eleições 2020

Já no primeiro turno eleitoral, as abstenções foi alto, o índice nacional foi de 23,3%. Os dados do TSE apontam que a abstenção média entre os jovens de 16 a 34 anos foi de 26,52%. Entre os adultos (entre 35 e 59 anos) foi de 20,64%. Já entre os eleitores com mais de 60 anos foi de 76%.

Entre aqueles entre 60 e 64 anos, a abstenção foi de 19,6%.

Entre aqueles entre 65 e 69 anos foi de 33%. Já entre aqueles entre 21 e 24 anos foi de 28,7%.

Quem não votou deve justificar?

Sim, os eleitores que não compareceram às urnas em algum dos pleitos devem fazer a justificativa de ausência. É possível justificar online pelo site do TSE, você confere o passo a passo aqui.

Além disso, é válido lembrar que o eleitor tem 60 dias para justificar a ausência de cada dia de votação. Quem não justificar deve pagar uma multa para ficar com a situação regularizada com a justiça eleitoral. O eleitor que não quitar suas dividas sofre algumas consequências, como não poder tirar passaporte ou participar de concursos públicos.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes