‘Não dou bola pra isso’, diz Bolsonaro sobre vacina no Brasil

O Brasil ainda não tem data certa para iniciar a vacinação e o governo federal não apresentou plano de imunização. Países latinos já começaram a vacinar.

Ao ser questionado sobre o fato de outros países latinos já estarem aplicando a vacina contra a COVID-19 e o Brasil não, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) respondeu que não dá bola para isso. A fala aconteceu ontem de manhã (26), durante um passeio por Brasília. Bolsonaro não utilizou máscaras durante todo o trajeto. Ele cumprimentou pessoas e entrou em estabelecimentos.

“Não dou bola pra isso”

Após ser perguntado por jornalistas sobre o Brasil estar atrasado em relação aos outros países com a vacinação, Bolsonaro disse a seguinte frase.

“Ninguém me pressiona pra nada, eu não dou bola para isso. É razão, razoabilidade, é responsabilidade com o povo, você não pode aplicar qualquer coisa no povo”, afirmou o presidente.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O presidente ainda falou novamente sobre os possíveis efeitos colaterais que as vacinas podem trazer.

“Em tudo que eu vi até agora, em vacina que poderão ser disponíveis, tem uma cláusula que diz o seguinte: eles não se responsabilizam por qualquer efeito colateral”, declarou.

Bolsonaro também disse que assinou uma medida provisória para compra de vacinas. Mas que precisa de aprovação da Anvisa, que ainda não autorizou a aplicação de nenhum imunizante.

Vacina na América Latina

Na América Latina, o México, o Chile e a Costa Rica iniciaram a vacinação contra a Covid-19 na quinta-feira (24). A Argentina recebeu um carregamento com 300 mil doses da Sputnik V e pretende começar a imunização no país em breve. O Brasil ainda não tem data certa para iniciar a vacinação e o governo federal não apresentou plano de imunização.

Guerra da vacina de Bolsonaro

Vacinação contra Covid-19 em SP: governador João Dória com uma dose da vacina em mãos
Foto: divulgação Governo de SP)

Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), travam uma espécie de guerra relacionada à vacina. Desde o começo da pandemia, Dória e o presidente divergem em como lidar com a pandemia, o paulista implementou quarentena e isolamento social, o que Bolsonaro se dizia contra.

Depois o governador de São Paulo corre atrás da vacina para o estado, enquanto Bolsonaro se mostra desconfiado dos imunizantes e contra vacinação obrigatória. Após o resultado dos testes da coronavac não apontar 90% de eficácia, o presidente alfinetou Dória em uma live. “A eficácia da vacina de São Paulo parece que está lá embaixo”, afirmou Bolsonaro.

O governo de São Paulo segue afirmando que a vacinação vai começar no estado no dia 25 de janeiro de 2021.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes