STF marca julgamento sobre plano de vacina contra Covid-19 do Governo

O STF (Supremo Tribunal Federal) marcou para o dia 17 de dezembro o julgamento para discutir se o Governo Federal deverá comprar vacinas e apresentar um plano de vacina contra a Covid-19.

O STF (Supremo Tribunal Federal)  marcou para o dia 17 de dezembro o julgamento para discutir se o Governo Federal deverá comprar vacinas e apresentar um plano de vacina contra a Covid-19. As duas ações foram movidas por partidos políticos. 

A sessão de julgamento do STF começou nesta sexta-feira, dia 4, mas precisou ser interrompida após o ministro Luiz Fux apresentar destaques e retirar o tema do plenário. Em comunicado, a presidência da corte informou ainda pela noite que a discussão sobre o plano de vacinação seria retomada daqui a mais de duas semanas. 

O relator do caso, o ministro do STF Ricardo Lewandowski, já votou a favor de o Governo brasileiro apresentar um plano de vacinação em até 30 dias. Seu voto já tinha sido antecipado desde o dia 24. Com isso, o Governo Federal já chegou a divulgar uma estratégia, estimando imunizar 109,5 milhões de brasileiros em 4 fases. 

Coronavírus: Rússia inicia vacinação em Moscou

Entenda as ações no STF

    A primeira ação foi movida no STF pelo partido Rede Sustentabilidade.  Nela, o partido pede que Bolsonaro se comprometa em comprar 46 milhões da vacina chinesa Coronavac, que no Brasil será produzida pelo Instituto Butantã, em São Paulo.  Já a segunda ação tem como autoria os partidos PSOL, Cidadania, PT, PSB e PCdoB, e pede que o Governo apresente em até 30 dias estratégias para a imunização dos brasileiros.

Quais são os tipos de vacinas em teste?

Existem atualmente mais de 10 vacinas em fases de teste em todo o mundo, no entanto, apenas seis estão na fase final: Coronavac, da Rússia, Pfizer e Moderna, dos Estados Unidos,  Oxford, do Reino Unido, a Sputnik V, da Rússia, Janssen, da Bélgica,  Entenda; 

Coronavac

    Eficácia: ainda não divulgada para fase 3.  Tecnologia: vírus inativado Doses: duas

Pfizer

    Eficácia: 95% (resultado preliminar).  Tecnologia: usa RNA  Doses: duas

Moderna

    Eficácia: 94,5% (resultado preliminar) Tecnologia: usa RNA  Doses: duas

Oxford

    Eficácia: de até 90% (resultado preliminar) Tecnologia: vetor viral Doses: duas (foi mais eficaz no esquema meia dose + dose inteira)

Sputnik V

    Eficácia: 92% (resultado preliminar).  Tecnologia: vetor viral Doses: duas

Janssen

     Eficácia: ainda não foi divulgado resultado preliminar para a fase 3 Tecnologia: vetor viral  Doses: estudos em andamento avaliam uma ou duas dose
Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.