Volta às aulas em SP: alunos retornam no dia 1º de fevereiro

Segundo Rossieli Soares o retorno dos alunos e professores será obrigatório nas escolas de São Paulo e deve acontecer a partir de fevereiro.

Ontem (4) o secretário estadual de Educação de São Paulo, Rossieli Soares anunciou que a volta às aulas em SP será obrigatória para professores e estudantes do estado a partir de 1º de fevereiro. Contudo, ele ressaltou que a definição sobre a obrigatoriedade cabe ao conselho, que vai se reunir para discutir o assunto no dia 13 de janeiro. Portanto, ainda não há uma definição concreta.

Volta às aulas em SP

volta às aulas
Rossieli Soares (Foto: Reprodução)

Segundo o secretário a volta às aulas vai acontecer no estado a partir do próximo mês. Ele afirma que mesmo com alta de casos, será seguro retornar.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

“Mesmo que estejamos eventualmente na bandeira vermelha, voltaremos em rodízio com máximo de até 35% dos alunos no mesmo turno. Já tivemos a volta no dia 8 de setembro de mais de 2800 escolas com atividades e não tivemos nenhum caso de transmissão dentro das nossas escolas”, disse hoje Rossieli em entrevista ao jornal EPTV de Campinas, da Globo.

Mesmo que a volta ainda não esteja 100% concreta, a secretária estadual do Desenvolvimento Econômico de São Paulo, Patricia Ellen, afirmou, em entrevista à TV Globo, que não é possível adiar mais o retorno às aulas.

Obrigatoriedade – Volta às aulas em SP

Além disso, ele argumenta que o retorno será obrigatório para alunos e professores. A exceção será para aqueles que atestarem a impossibilidade de comparecer às aulas presenciais.

“A ideia é que agora nós tenhamos a obrigatoriedade do retorno. Mas, aquele que tiver um atestado de que faz parte do grupo de risco, não precisará voltar, assim como os profissionais, se tiverem atestado médico também pode continuar fazendo o trabalho remoto”, afirmou.

Fase vermelha e volta às aulas

No dia 18 de dezembro, o governo de São Paulo mudou o entendimento em relação ao retorno às aulas presenciais e incluiu a Rede Básica de Ensino como serviço essencial. Por isso, mesmo que o estado esteja em fase vermelha, a mais restritiva da quarentena, a volta às aulas presenciais ainda estará autorizada.

Nas fases vermelha ou laranja do Plano São Paulo, as escolas da educação básica, que atendem alunos da educação infantil até o ensino médio, poderão receber até 35% dos alunos matriculados. Na fase amarela, elas ficam autorizadas a atender até 70% dos estudantes. 100% dos alunos podem retornar diariamente apenas na fase verde do plano.

Ainda segundo Rossieli Soares, no caso de escolas de ensino superior, a autorização segue condicionada à manutenção de região na fase amarela.

Recuperação

Ontem (4), a rede estadual iniciou as aulas de recuperação para alunos que não tiveram rendimento suficiente para conseguir a aprovação. Dessa forma, são 25 aulas semanais, que podem ser realizadas nos turnos da manhã, tarde e noite. Os alunos que entregarem todas as atividades poderão ser aprovados.

Prefeitura de SP

No final de 2020, o prefeito Bruno Covas anunciou sua expectativa de voltar às aulas presenciais na rede municipal de São Paulo a partir do dia 4 de fevereiro. Contudo, essa decisão precisa passar pelo aval da área da Saúde.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes