Coronavac tem eficácia geral abaixo de 60%; entenda o significado

Imunizante do Instituto Butantan tem eficácia acima de 50%, portagem mínima exigida pela Anvisa

Segundo informações apuradas pelo site UOL, a Coronavac, imunizante contra a COVID-19 desenvolvido pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, tem eficácia geral abaixo de 60%. Apesar da taxa baixa em comparação com os imunizantes das farmacêuticas Pfizer e Moderna, a taxa ainda está acima de 50%, desempenho mínimo determinado pela Anvisa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, para a aprovação de vacina.

Ainda segundo o UOL, duas pessoas que têm acesso ao Instituto Butantan afirmaram à reportagem que o índice da vacina mostra que o imunizante é eficaz para atingir a imunidade coletiva, também conhecida como “imunidade de rebanho”, e está de acordo com os padrões da OMS, a Organização Mundial da Saúde.

Segundo dados do próprio Butantan, a vacina tem 100% de eficácia contra casos graves, o que significa que quem tomar a vacina criará anticorpos contra a COVID-19, e se contaminado pelo vírus, terá apenas sintomas leves como dor de cabeça, que deverão ser tratados com medicação leve.

 

O índice geral de eficácia da Coronavac

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Na última semana, o governador João Doria (PSDB) anunciou em coletiva que a taxa de eficácia clínica da vacina, ou seja, sua capacidade de prevenção da doença em casos mais leves, é de 78%. Nenhum voluntário do estudo clínico desenvolveu casos graves da doença, que pode levar a óbito, o que apontou 100% de eficácia contra sintomas graves. Segundo pesquisadores, isso significa que a vacina pode reduzir a demanda de leitos de UTI.

O índice de 60% é calculado ao fim da fase 3 de testes em seres humanos, etapa onde parte de um grupo toma o imunizante, enquanto outra toma um placebo de composto neutro. Cientistas apuram a partir do acompanhamento de voluntários quantos desenvolveram a doença de forma leve, moderada ou grave. Se 50% do grupo que recebeu o imunizante não desenvolveu a doença, a vacina é considerada eficaz.

Nesta segunda-feira (11), a Indonésia autorizou o uso emergencial da Coronavac em sua população. Os testes conduzidos no país demonstraram eficácia de 63% em resultado preliminar com 1.620 voluntários.

O Instituto Butantan afirma em nota que os novos dados sobre o imunizante Coronavac serão apresentados nesta terça-feira (12), às 12h45, em sua sede.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes