Estado do Amazonas sofre com sumiço de vacinas contra covid

Além do colapso causado no sistema de saúde de Manaus pela falta de cilindros, agora o estado do Amazonas está lidando com um sumiço nas doses de vacina contra a COVID-19. Os municípios do Amazonas receberam 282.320 doses da vacina, 26 mil a mais que o previsto, porém apenas 221.593 mil foram distribuídas. Além disso, João Dória doou 50 mil doses da coronaVac para o estado, ou seja, o Amazonas teria um total de 332 mil doses da vacina, mas que não foram distribuídas.

Vacinas Amazonas

Segundo informou o jornal Diário 24 horas do Amazonas, seguindo o plano do Governo do Estado, de acordo com a planilha do número de doses da Coronavac, o município de Coari deveria receber 3.484 doses da vacina contra a Covid-19, mas segundo o protocolo de recebimento, foram apenas 905 doses. No município de Nhamundá, estavam destinadas 1.489 doses de Coronavac, mas receberam apenas 625 doses. O município de Manaquiri deveria receber 1.516 doses de vacina, porém foram entregues apenas 869 doses. Em Parintins, eram 4.900 doses esperadas, mas foram recebidas apenas 1.069 vacinas recebidas.

Em nota enviada às coordenações estaduais, o Ministério da Saúde informou que a primeira remessa de vacinas não atenderá todo o público-alvo da primeira fase. Por isso, deve haver uma seleção de prioridades para receber a vacina.

Primeiras pessoas a se vacinarem no estado (Foto: Reprodução)

COVID-19 Amazonas

A população amazonense já vinha sofrendo com a falta de cilindro de oxigênios para tratamento da COVID-19 nos hospitais. A capital do estado teve de receber tubos de oxigênio da Venezuela e de outros estados brasileiros. Além disso, muitos artistas também fizeram doações de cilindros para auxiliar a população. Por conta dessa falta de insumos o Tribunal de Contas da União (TCU) a abrir uma investigação contra o ministério da Saúde, comandado pelo general Eduardo Pazuello.

Na última quarta-feira o estado registrou 5.009 novos casos de Covid-19, um recorde de casos diários. O número total de infectados chegou a 238.980 e o estado registra 6.598 óbitos.

- PUBLICIDADE -

De acordo com o Plano Nacional de Imunização (PNI), do MS, a prioridade na primeira fase é a vacinação de indígenas aldeados maiores de 18 anos, trabalhadores da saúde, idosos e pessoas com deficiência (PcDs) atendidos em instituições.

Comentários (0)
Comentar