YouTube lança fundo de US$ 100 milhões para competir com TikTok

Plataforma do Google vai usar o valor para remunerar criadores que queiram produzir para o aplicativo Shots

A guerra contra o aplicativo chinês de videos TikTok continua forte no mundo das gigantes americanas da tecnologia. O YouTube acaba de anunciar a criação de um fundo no valor de US$ 100 milhões que será usado para remunerar criadores de conteúdo do Shorts, o aplicativo do YouTube que compete  diretamente com o TikTok.

Assim como o TikTok, o Shorts apresenta vídeos curtos, de rápido consumo. Com o novo fundo, o YouTbube quer atrair novos criadores para seu aplicativo.  A ideia é de que todos os meses algumas centenas de criadores com vídeos populares ofereçam videos e recebam por isso. Diferentemente do funcionamento atual no YouTube, que remunera os criadores pelas visualizações.

O YouTube admite que já está pensando em novas formas de monetização do Shorts para conseguir atrair os astros do TikTok para sua plataforma.  “O [fundo] do Shorts é o primeiro passo em nossa jornada para construir um modelo de monetização para os Shorts no YouTube. Essa é uma das nossas prioridades e levará algum tempo para [acertarmos esse modelo]”, disse a empresa, em comunicado divulgado na terça-feira.

O que é o YouTube Shorts

A nova ferramenta do YouTube permite que usuários filmem, editem e compartilhem vídeos de até 15 segundos diretamente no aplicativo de vídeos do Google, sem intermediários para preparar esse conteúdo. É uma configuração extremamente similar ao que pode ser feito no TikTok. O aplicativo chinês, conhecido por seus vídeos com dancinhas e animais fofos entre outros, todos com no máximo um minuto de duração, ganhou espaço nos últimos anos principalmente entre os jovens. Hoje, estima-se que o aplicativo já seja acessado por quase 700 milhões de usuários todo mês, segundo pesquisa do Business of Apps.

Além do formato na produção dos conteúdos, o Shorts é parecido com o TikTok na navegação. O feed da ferramenta no shorts será infinito, com vídeos que se repetem sem fim, podendo passar para o próximo rolando a tela para cima. Nas publicações, criadores de conteúdo podem inserir hashtags, enquanto usuários podem curtir, comentar e compartilhar.

O grande diferencial do Shorts em relação ao TikTok está na integração com o YouTube. Na hora de produzir um vídeo, usuários podem importar áudios diretamente de um vídeo na plataforma, facilitando, assim, as chamadas ‘correntes’. O Shorts também terá uma biblioteca com sons e músicas para ajudar na hora da edição.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.