Vazamento expõe dados de 500 milhões de usuários do Facebook

De acordo com revista, informações como endereços de e-mail e número de telefone foram postados em um fórum de hackers

Mais um vazamento parece ter comprometido informações sensíveis de pessoas ao redor de todo o mundo. Desta vez, de acordo com reportagem da revista Business Insider, dados de mais de 500 milhões de usuários do Facebook, incluindo endereços de e-mail e números de telefone, foram postados e compartilhados em um fórum de hackers no sábado, 3.

De acordo com um porta-voz do Facebook ouvido pelo Business Insider, são dados antigos dos usuários e que o erro já havia sido corrigido em 2019, além de ter tido ampla comunicação da empresa na época. No entanto, a publicação diz que alguns números de telefone vazados ainda pertenciam aos proprietários das contas afetadas do Facebook.

Dentre os dados encontrados pela reportagem estão informações como número de telefone, nome completo, data de nascimento e, em alguns casos, endereço de e-mail.

“Os registros de 533 milhões de contas do Facebook acabam de ser divulgados gratuitamente”, tuitou Alon Gal, diretor técnico da agência de crimes cibernéticos Hudson Rock, criticando a “negligência total” do Facebook, em trecho destacado pelo Business Insider. Dessa forma, todos os dados podem ser acessados de graça por qualquer pessoa.

Vale lembrar que esta não é a primeira vez que o Facebook é protagonista em um vazamento desse porte. Em 2018, a rede social se envolveu no escândalo Cambridge Analytica, quando a empresa britânica capturou dados pessoais de milhões de usuários do Facebook para propagandas políticas.

Além do Facebook

A indicação geral de especialistas é de que as pessoas permaneçam atentas nos dias seguintes aos megavazamentos. Isso porque  os criminosos que compram a base de dados tentam aplicar golpes nas vítimas por meio da chamada engenharia social. São fraudes, boletos falsos e e-mails com informações básicas que tentam obter dados ainda mais sensíveis,  como bancários e outros não disponíveis no vazamento.

Outra dica de especialistas diz respeito à atualização de senhas de redes sociais e de e-mails, que deve ser feita periodicamente por questão de segurança para evitar clonagem.  O mais seguro, dizem,  é não usar a mesma senha para diferentes sites ou plataformas, assim como também é indicado não colocar dados pessoais simples nesses passes de segurança, como data de nascimento ou nome de familiares. Isso facilita a ação de hackers.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.