WhatsApp pay vai permitir vendas direto pelo aplicativo

Plataforma continua investindo na comunicação facilitada entre marcas e clientes, que já somam 175 milhões de pessoas

O WhatsApp Pay é o mecanismo recém-lançado de pagamento do mensageiro instantâneo no Brasil. A nova funcionalidade de pagamento permite que os usuários enviem dinheiro com segurança. De maneira similar, podem realizar uma compra sem sair da janela de chat.

O aplicativo de mensagens instantâneas de propriedade do Facebook tem 120 milhões de usuários no Brasil. Desse modo, é o segundo maior mercado para a gigante de telecomunicações depois da Índia, de acordo com a Reuters.

Porém, o lançamento do serviço de pagamentos foi marcado por problemas. Menos de uma semana depois da estreia, o serviço foi suspenso pelo Banco Central. Alguns especialistas temem que mais um meio de pagamento poderá impactar o sistema financeiro brasileiro.

A visão da empresa sobre a disputa

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Contudo, o Whatsapp disse que a mudança beneficiaria pequenas empresas. Segundo postagem no blog do aplicativo de troca de mensagens:

 Os mais de 10 milhões de pequenas e micro empresas são o coração das comunidades brasileiras. Tornou-se uma segunda natureza enviar um ‘zap’ a uma empresa ou executivo para obter respostas às perguntas. Agora, além de visualizar o catálogo de uma loja virtual, os clientes também poderão enviar pagamentos por produtos

Os usuários não serão obrigados a pagar taxas para enviar dinheiro ou fazer compras. As empresas, no entanto, seriam obrigadas a pagar uma taxa de processamento para receber os pagamentos. O Whatsapp afirma que vão ser semelhantes às taxas pagas no cartão de crédito.

Como vão funcionar as transações no WhatsApp Pay?

Antes voltado apenas para usuários, o app começou a adentrar a área das empresas aos poucos, com iniciativas como o WhatsApp Business. Todavia, com a suspensão do serviço, o sistema só deve ser lançado pra valer em 2021. De qualquer forma, inicialmente será restrito a pequenos negócios.

Por enquanto, a ideia é que os usuários do aplicativo possam fazer transferências monetárias entre si e pagar produtos ou serviços. Na primeira fase, apenas quem tiver cartões de crédito ou débito do Nubank, do Banco do Brasil ou do Sicredi podem usar o serviço. Nesse sentido, a  responsável pelo processamento das transações é a Cielo.

Coronavírus ajuda a expandir o serviço

Segundo Matthew Idema, diretor de operações, a ideia foi motivada por conta da intensificação do uso do aplicativo durante a pandemia do coronavírus. Isto pois a maioria das pessoas prefere resolver tudo por mensagens. Tal efeito se intensificou com a massificação do trabalho remoto devido às medidas de isolamento social.

Desde abril, quando o home office se popularizou no mundo todo, o WhatsApp viu um aumento significativo em seu uso. Foram mais de 100 bilhões de mensagens enviadas desde então. Além disso, Idema afirmou que as ligações e chamadas de vídeo também passaram a ser usadas com maior frequência.

WhatsApp Pay passa por testes no país

Um grupo limitado de cartões vai poder fazer transações de baixo valor, segundo informaram a Mastercard e a Visa. De acordo com as empresas, o objetivo é testar o sistema. Essa autorização foi dada pelo Banco Central do Brasil apenas para um período de testes. Depois, ainda será necessária a liberação total do sistema.

De acordo com o Banco Central, a motivação para a decisão de suspender o serviço é “preservar um adequado ambiente competitivo, que assegure o funcionamento de um sistema de pagamentos interoperável, rápido, seguro, transparente, aberto e barato”. 

Mais opções de pagamento requerem atenção

Com mais opções para os consumidores, a tendência é que os serviços bancários se tornem melhores e mais baratos. Contudo, as pessoas precisam ficar mais atentas quanto ao que disponibilizam.

No Brasil, de acordo com a Federação Brasileira de Bancos, o número de transações bancárias realizadas pelo celular em 2018 aumentou 24% em relação ao ano anterior. Ao mesmo tempo, os aplicativos para smartphones já são realizados por 40% do total das operações bancárias no Brasil.

Nesse sentido, muita gente deixa de investir em criptomoedas por considerar algo inseguro. Porém, algumas plataformas são tão seguras quanto os bancos digitais. Além disso, é possível realizar essas transações sem expor seus dados. Isso inclui tanto informações pessoais quanto padrões de consumo, já que as transações são pseudomonas.

O Mercado Bitcoin possui mais de 7 anos de funcionamento sem qualquer intercorrência de vazamento de dados ou ataques. A corretora de Bitcoin e criptomoedas é considerada a mais segura da América Latina, e dispõe do certificado SSL A+.

WhatsApp Pay e criptomoedas

Logotipo do Facebook, e moedas digitais do Bitcoin

O novo recurso de compras no aplicativo de mensagens chega em um momento em que a gigante de pagamentos Paypal passou a oferecer intermediação em criptomoedas. Além disso, mais empresas do setor financeiro, como fintechs, estão permitindo o uso de criptomoedas em suas plataformas. Será interessante ver se este novo serviço do Whatsapp irá futuramente integrar as criptomoedas. 

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes