Rainha Elizabeth II exalta união entre os britânicos em pronunciamento

Monarca lamentou Natal diferente, mas ressaltou que segue em orações por todos os britânicos e por todo o mundo

A rainha Elizabeth II exaltou a união entre as pessoas em seu tradicional pronunciamento de Natal. A monarca  falou sobre a pandemia de Covid-19 e lamentou que as pessoas não podem abraçar quem amam devido ao isolamento social. A medida é a mais eficaz contra a doença que já deixou milhares de mortos e infectou outros em todo o mundo.

“Continuamos a nos inspirar na solidariedade de estranhos e encontramos conforto em perceber que mesmo nas noites mais sombrias há esperança. No Reino Unido e em todo o mundo, as pessoas responderam de forma magnífica aos desafios deste ano, e estou orgulhosa e comovida”, disse a monarca

“Para muitos, o ano ficará marcado pela tristeza: alguns choram a perda de um ente querido, amigos e familiares sentem falta uns dos outros, enquanto no Natal gostariam de um simples abraço ou aperto de mão. Se você está entre eles, não está sozinho. E deixe-me assegurar-lhe meus pensamentos e orações.”, falou ainda, a rainha Elizabeth.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Rainha Elizabeth II

Devido a pandemia de Covid-19, a rainha cancelou as celebrações de Natal e está em isolamento social no castelo de Windor com o seu marido, o príncipe Philip, de 99 anos.  Tradicionalmente, a rainha costumava passar a data especial em sua residência de Sandringham, em Norfolk, no leste da Inglaterra.

Há mais de 30 anos, a monarca costumava reunir membros da realeza para celebrar o Natal. No pronunciamento, Elizabeth lamentou o Natal diferente.  “Não podemos festejar o Natal como de costume (…) mas a vida tem de continuar”, enfatizou a rainha.

Pandemia de Covid-19 na Inglaterra

Na Inglaterra, onde a rainha Elizabeth II vive, a pandemia de Covid-19 já deixou mais de 70 mil mortos e outros milhares de infectados. Recentemente, uma nova variante do coronavírus foi detectada no Reino Unido.

Essa nova cepa apresenta uma rápida forma de contágio da doença, o que levou o governo britânico a reforçar as medidas de segurança e restrições no país para as festas de fim de ano.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes