Essencialismo: aprenda como ser mais produtivo com essa filosofia

A obra “Essencialismo”, escrita pelo britânico Greg Mckeown, ajuda a identificar o que é realmente importante e promove o conceito de ‘fazer menos, porém melhor’.

0 763

Aprender a ser mais produtivo nunca fez tanto sentido. Afinal, em tempos de pandemia, a rotina foi alterada e o esquema de trabalho home office começou a fazer parte da vida de muita gente. Isso pode representar uma verdadeira armadilha se você não souber se organizar. O livro Essencialismo: a disciplinada busca por menos se torna então um guia que ensina a ter foco e não só fazer mais, mas fazer melhor.

Escrita pelo autor britânico Greg Mckeown, a obra explica a filosofia do essencialismo. Esse método sistemático ajuda a priorizar tarefas, sejam pessoais ou profissionais, eliminando o que não é essencial e tornando a rotina mais objetiva e leve.

Mais do que apenas uma ferramenta de gestão de tempo ou de produtividade, a partir dos ensinamentos do essencialismo é possível identificar atividades e atitudes que roubam tanto o seu tempo quanto a sua energia.

De acordo com o livro, a questão não é fazer mais coisas em menos tempo, porque o que o essencialista faz, na realidade, é focar nas coisas certas. Para isso, duas ações são fundamentais: ter controle sobre suas escolhas e dizer ‘não’. Essa última, inclusive, pode parecer uma ideia óbvia, a princípio, mas, na prática, se recusar a fazer alguma coisa tende a ser difícil para a maioria das pessoas.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O bom desempenho, no entanto, é alcançado quando você descarta tarefas irrelevantes e se permite fazer apenas o que é indispensável. Isso se torna ainda mais verdadeiro em um cenário cada vez mais rodeado de informações e compromissos por todos os lados.

 

O que é ser essencialista

essencialismo e produtividade
Imagem: reprodução / Unsplash

Apesar de ser muito comum atrelar o crescimento profissional à quantidade de horas trabalhadas, a verdade é que os resultados só podem ser realmente medidos pelo valor produzido no período. E essa é a premissa descrita logo no primeiro capítulo do livro: “A ideia do essencialismo é fazer menos e, ao mesmo tempo, realizar mais”.

Assim, uma pessoa que trabalha por longas horas pode ter uma performance igual ou até mesmo inferior à de um colega que dedica menos tempo ao projeto, mas que faz isso de forma mais assertiva.

Com o essencialismo há, então, um salto na produtividade ao mesmo tempo em que o estresse do excesso de tarefas diminui.

Para chegar lá, o método se baseia em três fases distintas:

  • Exploração: análise das opções disponíveis e divisão entre essencial e dispensável
  • Eliminação: momento de dizer ‘não’ a tudo que não é essencial
  • Execução: hora de investir tempo e esforço naquilo que é, de fato, essencial

Essas etapas integram um processo cíclico de avaliação de oportunidades e obrigações. Seguindo cada passo, você se torna mais produtivo porque consegue direcionar todo o seu tempo e energia àquilo que é imprescindível.

 

6 dicas do essencialismo

livro essencialismo
Imagem: reprodução / Amazon

Ser essencialista é saber escolher

Fazer escolhas é uma responsabilidade individual e no essencialismo você precisa se apoderar disso. Caso contrário, outras pessoas ou o próprio percurso da vida vão se encarregar de escolher por você. Estabeleça prioridades, entenda que nunca será capaz de fazer tudo e deixe de dizer sim a todos. Só assim você poderá oferecer sua máxima contribuição àquilo que realmente importa.

 

Brincar faz parte do essencialismo

De acordo com o livro, o ato de brincar é muito valioso, porque promove a elasticidade cerebral e possibilita o exercício da criatividade. Tirar um tempo para fazer coisas por prazer, como hobbies e passatempos, ajuda a aliviar o estresse do cotidiano, que costuma prejudicar o processo de tomada de decisões e atrapalhar o desempenho em qualquer tarefa.

 

Dormir bem importa

Além de brincar, a qualidade do sono também é importante para os essencialistas. Para Greg Mckeown, dormir bem é essencial visto que, no dia seguinte, você consegue ter um nível elevado de contribuição em suas atividades. Sem isso, sua habilidade de julgamento e processo de escolha ficam prejudicados, o que dificulta o maior objetivo do essencialismo, o ato de priorizar.

 

Aprenda a selecionar

Fazer escolhas e definir o melhor caminho a seguir nem sempre é fácil. Por isso, o autor criou um processo simples e sistemático que ajuda na hora de selecionar o que é essencial:

  • Descreva a oportunidade em questão, seja uma tarefa pessoal ou profissional
  • Liste três critérios mínimos que a opção deve atender
  • Elabore três critérios rígidos ou ideais
  • Por fim, se a oportunidade não corresponder ao primeiro conjunto de critérios e/ou se encaixar em ao menos dois critérios rígidos, a resposta será ‘não’.

 

Imponha limites

No essencialismo você pode – e deve – estabelecer limites. Quando isso não é feito, outras pessoas podem acabar invadindo seu espaço ou impondo seus próprios termos. Já que não é possível fazer tudo, determinar limites te deixa livre para escolher o que, como e quando deseja realizar.

 

Fique focado

Greg Mckeown sabe que manter o foco não é uma tarefa simples. Assim, fez questão de ensinar uma técnica de concentração: focalize o momento presente e compreenda o que é mais importante agora, não o que será mais importante amanhã ou daqui a uma hora.

Por fim, vale entender que a maior lição do livro Essencialismo não é uma afirmação, mas sim uma pergunta, que deve seguir com você em todos os momentos, independentemente da situação: O que é essencial? Olhe para dentro, responda com sinceridade, elimine todo o resto e veja a mágica acontecer.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes