Identidade de Gênero: o que precisamos saber sobre?

Sexo, identidade de gênero, sexualidade e expressão de gênero. Você sabe a diferença entre essas terminologias? Confira as distinções!

Com o avanço e a disseminação midiática das ciências sociais, em específico a terceira onda do Feminismo e o movimento Queer, cada vez mais temáticas como a identidade de gênero tem sido colocadas em pauta. No entanto, o conceito ainda é pouco compreendido pela sociedade.

Talvez boa parte dessa incompreensão sobre a temática, seja oriunda das mudanças nos significados das terminologias utilizadas para denominar os indivíduos no âmbito social.

Outro fator que pode contribuir com noções pré-concebidas sobre identidade de gênero é que, apesar do aumento de estudos e pesquisas sobre identidade de gênero, o número de informações que chegam as camadas mais populares ainda é escasso.

Não-binário
Imagem: Reprodução / Pexels

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Em primeiro lugar é válido ressaltar que o ser humano é um ser social. Isso significa que as dinâmicas sociais que acontecem em seu entorno interferem e influenciam diretamente em sua individualidade. Por fim, moldando o seu comportamento.

Nesse sentido, fatores externos estão intimamente ligados às noções de sexo, identidade de gênero, sexualidade e expressão de gênero, conceitos que serão explicados a seguir. Entre esses fatores, destacamos fatos históricos, culturais, sociais, econômicos e políticos.

 

 

Qual a diferença entre Sexo e Gênero?

Embora seja comum associar o sexo ao ato sexual íntimo, também utilizamos essa palavra para falar sobre às distinções anatômicas e biológicas do corpo humano. São elas: órgãos genitais, mamas, aparelhos reprodutivos, entre outros.

Dadas as características biológicas, o sexo pode ser predominantemente feminino (com vagina), masculino (com pênis) ou intersexual (com genitálias).

Já o gênero é a construção social acerca do sexo biológico. De forma simples, gênero é o comportamento social imposto ao sexo biológico que é designado ao indivíduo após o nascimento.

Um exemplo corriqueiro é a analogia que se faz as cores para designar o gênero de uma criança. A prática é bastante comum nos chás de revelação, onde azul significa que é menino e rosa, menina.

Antes mesmo de nascer, já temos um conjunto de normas e papéis sociais a seguir. Desde a roupa que vestimos às profissões que iremos exercer e até ao modo de nos relacionarmos.

Todavia, com o aumento das pesquisas sobre identidade de gênero, as noções de homem/mulher pautada em uma lógica biomédica e sexo biológico, foram dando espaço a vasta gama de identidades de gêneros existentes.

 

 

Mas afinal, o que é identidade de gênero?

Ao nascer, o indivíduo é identificado como homem ou mulher, de acordo com o órgão sexual. Contudo, a identidade de gênero é a maneira que uma pessoa se identifica socialmente. E esta pode ser (ou não) condizente com o sexo biológico.

Ela diz respeito a como o indivíduo se sente relação ao próprio corpo. Mas, diferente do que muitos pensam, a identidade de gênero vai muito além da anatomia. A identidade de gênero é como a pessoa se percebe.

Também é a experiência do indivíduo sobre suas emoções, sobre os sentimentos de pertença ou estranhamento que podem desencadear durante o desenvolvimento biopsicossocial e levá-lo ao reconhecimento de sua identidade.

Identidade de Gênero: Não-binário
Imagem: Reprodução / Pexels

 

 

Tipos de Identidade de Gênero

Existe uma vasta gama de identidades de gênero. No entanto, ao falar sobre a temática, é preciso compreender os três principais tipos. Conheça a seguir as definições dos termos:

Primeiramente, a pessoa cisgênero é aquela que se identifica com a atribuição de gênero ao nascer. Por exemplo: nasceu com pênis e se identifica como homem.

Em contrapartida, a pessoa transgênero não se identifica com o gênero atribuído no nascimento. É o que acontece quando a pessoa nasceu com pênis, mas se identifica como mulher. Logo, podemos dizer que ela é uma mulher trans.

Por fim, o gênero não-binário diz respeito às identidades de gênero que não estão necessariamente atreladas as identidades masculinas e femininas. E podem, também, não se reconhecer como nenhuma delas, apresentando traços de ambas.

Existem ainda, os transsexuais, pessoas transgênero que optam pela cirurgia de redesignação sexual. O procedimento feito com o intuito de adequar as características anatômicas da pessoa transgênero conforme ela se percebe no mundo.

A arte a seguir exemplifica de maneira simples as questões de diversidade de gênero. Contudo, nenhuma destas características é estagnada. Ou seja, fazem parte de um espectro onde existe diversas maneiras de se identificar na sociedade.

Gráfico: diversidade de generos
Imagem: Reprodução / Pinterest

 

 

Expressões de gênero

Além das terminologias abordadas aqui, outro conceito importante é a expressão de gênero. Essa, por sua vez, é a forma como nos expressamos socialmente. Isso de acordo com o gênero que nos identificamos.

E não tem nada a ver com sexo biológico! Mas sim, a maneira como nos apresentamos ao mundo.

Em suma, é o modo que escolhemos para nos manifestar em público. O que inclui nossas roupas, comportamento e nossos relacionamentos.

Surpreendentemente, muitas pessoas confundem o modo de se relacionar, sexualmente e afetivamente, com identidade de gênero. Desse modo, é importante frisar que identidade de gênero e orientação sexual são coisas bastante distintas.

 

Identidade de Gênero: relacionamentos
Imagem: Reprodução / Unsplash

 

Identidade de Gênero x Orientação Sexual

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), sexualidade é o desejo afetivo-sexual, romântico ou não-romântico que uma pessoa tem por outra.

Portanto, é o que você define por sua atração quando o assunto é o coração e/ou o sexo.

Conheça algumas expressões usadas para nomear a orientação sexual individual:

  • Heterossexual: pessoa que sente atração afetiva e sexual por pessoas do gênero e sexo oposto. Por exemplo, homem que se relaciona com mulher, seja ela cis ou trans.
  • Homossexual: pessoas que sentem atração afetiva e sexual por pessoas do mesmo gênero e sexo. Como, por exemplo, homem que se relaciona com homem.
  • Bissexual:  uma pessoa que sente atração afetiva e sexual por pessoas de ambos os gêneros. Portanto, alguém que se relaciona tanto com homens quanto com mulheres.
  • Pansexual: é a pessoa cuja atração afetiva ou sexual não depende de gênero sexual ou sexo biológico;
  • Assexual: é a pessoa que não sente atração por nenhum gênero e sexo;
  • Demissexual: pessoa que só se relaciona sexualmente com outra se tiver emocionalmente envolvida

Desse modo, é necessário compreender que nenhuma orientação sexual é uma opção ou uma escolha. Trata-se, portanto, de uma condição natural dos seres humanos ao modo de relacionar-se.

Resumindo, a orientação sexual refere-se ao modo de sentir. Assim como a identidade de gênero, ela influencia diretamente nossos pensamentos, sentimentos, ações e integrações. E consequentemente, é um fator importantíssimo para a manutenção de nossa saúde física e mental.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes