O que é feminismo e 6 ideias equivocadas sobre o movimento

O feminismo é um movimento político, filosófico e social. E, diferente do que muitos pensam, defende a igualdade de direitos entre mulheres e homens. Entretanto, espalham muitas mentiras por aí e nós vamos desvendá-las!

O feminismo está por toda parte e nunca foi tão discutido como nos últimos anos. Feministas odeiam homens? Por que mulheres feministas não são femininas? É mimimi? Você provavelmente já ouviu essas perguntas, mas você sabe realmente significa  – e o que é equivocado sobre o movimento?

A seguir, entenda o que é o movimento e por que ele busca o fim do patriarcado.

O que é feminismo?

Uma feminista é uma pessoa que acredita na igualdade social, política e econômica entre mulheres e homens. Então, em termos gerais, o feminismo é um movimento que busca alcançar igualdade para todos.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Se você procurar a definição de “Feminismo” no dicionário, verá estas declarações:

Feminismo é:

  • Defesa dos direitos das mulheres com base na igualdade dos sexos
  • Teoria da igualdade política, econômica e social dos sexos
  • Crença de que homens e mulheres devem ter direitos e oportunidades iguais
  • Movimento que defende os direitos sociais, políticos e todos os outros direitos das mulheres iguais aos dos homens
  • Fim do patriarcado, o sistema social em que homens mantêm o poder primário e predominam em funções de liderança política, autoridade moral, privilégio social e controle das propriedades. No domínio da família, o pai mantém a autoridade sobre as mulheres e as crianças. 

Estes  são algumas das questões que ainda se mantém em pauta. Mas como o movimento começou?

Como o feminismo surgiu?

A luta começou no século XIX com influências da Revolução Francesa, quando foi publicada a Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã, que garantia igualdade jurídica entre ambos os sexos. Nessa época, as mulheres começaram a tomar consciência das desigualdades a que eram submetidas e, pouco a pouco, passaram a questionar os modelos sociais. No entanto, foi apenas no século XX que ideais igualitários começaram a ser disseminados.

É graças a ele que as mulheres têm reduzido, mesmo que a passos curtos, as desigualdades de gênero. A conquista do direito ao voto, do direito ao trabalho, a independência econômica, a participação política, o divórcio e a guarda dos filhos são frutos da luta feminista.

Agora que já sabemos o que é o movimento, você sabe o que não é o feminismo?

6 ideias equivocadas sobre o feminismo

 

1. Toda feminista odeia os homens

Por muitos anos, o feminismo foi pregado como uma luta de ódio contra os homens. Entretanto, não é bem assim. No momento em que se fica claro que esta é uma luta contra a estrutura patriarcal – aquela que vê o sexo feminino como inferior ou frágil e não contra homens em si, esta afirmação pode ser desconfigurada.

Vale lembrar, que muitas feministas são casadas, mães ou avós de homens. Inclusive, existem vertentes que acreditam que os homens podem ser aliados ao movimento, a partir do momento em que se conscientizam e ajudam a promover a equidade.

2. Feministas não são femininas

feministas
(Foto: Freepick)

Como já apontamos, um das causas pelas quais as feministas lutam é a liberdade de escolhas. Dessa forma, as mulheres podem vestir-se da maneira que acharem mais adequada e não necessariamente seguirem os padrões de beleza impostos pela sociedade. Mas, atenção! Você pode se enquadrar em todos esses padrões e ainda assim, ser feminista. E o melhor? Você não vai ser julgada por isso. Afinal, diferente do que muitas pessoas pregam, essa luta não afasta as mulheres e sim, incentiva a prática da sororidade.

3. Mulheres feministas são mal amadas

As feministas defendem que as mulheres sejam livres para escolher se querem se depilar ou não, e que elas não tenham que fazê-lo por uma obrigação social. Assim como maquiagens, entre outras coisas. Lembre-se: adotar esses padrões não te faz suja. Assim como não te faz mais ou menos feminista – essa é uma luta muito maior.

Além disso,  é um direito da mulher em ser reconhecida como pessoa completa e independente. Ou seja, ter alguém ao seu lado não a faz mais ou menos mulher. Então esse papo de “mal amadas”, pode ser considerado muito equivocado.

Ouça essa música e entenda mais:

4. Todas são lésbicas

O feminismo é um posicionamento político e assim como qualquer outro, os seus adeptos tem todas as orientações sexuais possíveis. Então sim, existem mulheres lésbicas no movimento, assim como, héteros, e bis que lutam em diferentes frentes contra os machismos diários que atingem a todas, ainda que de formas específicas. E acalmem os corações, apesar dessa afirmação ser feita na tentativa de xingar, não há nada de pejorativo em ser lésbica.

5. Feministas odeiam mães e crianças

O movimento entende que nem todas as mulheres nasceram para serem mães, como a sociedade impõem. Mães são mulheres, então não só são acolhidas pela luta, quanto são defendidas. Mas, ainda vale lembrar que uma mulher não se torna inferior simplesmente por não querer construir o que chamam de “família tradicional”. E tudo bem se outras quiserem, desde que seja uma decisão consciente e não por uma pressão social. Escolher cuidar do lar também não faz da pessoa menos feminista, assim como querer construir uma carreira.

6. Chega de “mimimi”

feminismo é conquista
(Foto: Freepick)

É importante saber que o movimento feminista – é na verdade, um grande grupo cheio de ideias divergentes e vertentes de luta. E questões específicas de mulheres negras, lésbicas, periféricas, prostitutas, indígenas e transexuais, também são levadas em consideração.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes