Ella Fitzgerald: a inesquecível Grande Dama do Jazz

A voz suave e com grande extensão de Ella Fitzgerald conquistou a música e o posto de maior cantora do século XX

Quando se trata de vozes no jazz, Ella Fitzgerald é referência. O sorriso e a elegância da cantora, aliado ao suave e potente vocal lhe renderam o título de maior cantora do século XX. Ela também ficou conhecida como a Grande Dama do Jazz e Primeira Dama da Canção.

Tinha uma voz inconfundível, que chegava a três oitavas, algo considerado raro. Iniciou a carreira com apenas 17 anos e sua ascensão foi meteórica. Assim, mesmo quase 25 anos após a sua morte, continua figurando como referência na música e empoderamento feminino.

Portanto, Ella Fitzgerald virou lenda e seus quase 60 anos de carreira lhe renderam frutos, como os 14 Grammy que conquistou. Inclusive, foi a primeira mulher negra nos Estados Unidos a conquistar o prêmio.

Também ganhou a Medalha Nacional das Artes do presidente Ronald Reagan, assim como a Medalha Presidencial da Liberdade, do presidente George Bush.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Com mais de 100 discos gravados, Ella Fitzgerald cantou vários estilos de música, mas de estacou com o jazz e baladas. Grandes nomes como como Louis Armstrong, Dizzy Gillespie, Frank Sinatra e Bing Crosby se apresentaram ao vivo ao lado da cantora.

 

Ella Fitzgerald cantando
Imagem: Reprodução/Twitter

Biografia de Ella Fitzgerald 

Nascida em Newport News, Virgínia, em 25 de abril de 1917, Ella Fitzgerald cresceu em um lar conturbado. Quando ela tinha apenas três anos, o seu pai William Fitzgerald decidiu abandonar a família para viver com uma amante. Assim, sua mãe Temperance decidiu se mudar para Yonkers, Nova York, e recomeçar a vida.

Ela conheceu o português Joseph da Silva e com ele se casou e teve uma segunda filha, Frances, meia-irmã de Ella. Em 1932, Temperance morreu vítima de infarto.  Com 15 anos, Ella ficou traumatizada pela perda da mãe e desenvolveu depressão, chegando a abandonar a escola.

Além disso, também sofreu para cuidar da irmã, que tinha 9 anos, porque o padrasto era agressivo e passou a humilhar, espancar e estuprar Ella. Então as irmãs fugiram  para a casa de uma tia materna, Virgínia, que as abrigou. Joseph foi denunciado e preso, mas

Após denunciá-lo, seu padrasto foi preso, mas a tia de Ella a abandonou em um colégio interno. Meses depois ela fugiu e se tornou moradora de rua. Para sobreviver trabalhou em cassinos e bordéis, mas foi presa e enviada a um reformatório. Meses depois fugiu e voltou para as ruas.

Contudo, neste período desenvolveu o sonho de ser cantora e bailarina. Ganhava dinheiro sapateando nas ruas e improvisando apresentações. Começou a fazer aulas de piano com uma professora, que acreditou em seu talento.

Ella Fitzgerald já havia cantado em uma igreja, e sua geração foi a primeira a ter contato com o rádio e o fonógrafo. Era fã do cantor e trompetista Louis Armstrong, que se inspirou nas canções e performances.

 

Carreira

Com 17 anos, Ella Fitzgerald se inscreveu em um concurso de artistas amadores e em fez sua estreia como cantora em 21 de novembro de 1934, no Teatro Apollo, no Harlem. Sua apresentação deixou todos impressionados com sua performance vocal. Por isso, foi a vencedora da noite.

Um ano depois, se apresentou por uma semana com a big band de Tiny Bradshaw, na Harlem Opera House.  Teve rápido crescimento na carreira em em 1937 já era a cantora favorita dos eleitores da revista “Down Beat”. Permaneceu cantando na banda até 1942, quando decidiu iniciar a carreira solo.

Ingressou no selo Decca e gravou duos com artistas renomados, como The Delta Rhythm Boys, Louis Jordan e Sly Oliver e o seu grande ídolo, Louis Armstrong. Já no final de 1946, a banda banda de Dizzy Gillespie convidou Ella Fitzgerald  para uma longa temporada de apresentações.

 

Ella Fitzgerald jazz
Imagem: Reprodução/Twitter

Nova fase

Após 20 anos, Ella Fitzgerald  deixou a gravadora Decca e junto com o empresário Norman Granz  assinou um contrato com a Verve.

Assim, gravou o LP duplo com canções de Cole Porter, que venderam mais de 100.000 cópias. em apenas um mês. Durante os anos 50, Fitzgerald começou a série Songbooks, gravando canções de compositores norte-americanos famosos.

Gravou álbuns na Verve entre  1956 a 1964. Ella Fitzgerald variou no repertório, incluindo de canções padrões até raridades, como uma forma de se aproximar de um público fora do jazz.

Assim, Songbooks, se tornou a obra mais  bem-sucedida e aclamada pela crítica, que marcou na cultura americana. Foi apontado como um álbum pop que teve grande importância no mercado. Ali estava uma mulher negra que popularizou canções de importantes compositores, expandido o público.

De poucas palavras, Ella Fitzgerald se expressava em sua arte. Raramente concedeu entrevistas , onde eternizou com a frase “A Única coisa melhor do que cantar, é cantar”.

A cantora também recebeu honrarias pelo conjunto de sua obra. Até os anos 80, mesmo com problemas de saúde, a cantora continuou gravando e se apresentando até 1993. Ella Fitzgerald morreu em 15 de junho de 1996, em Beverly Hills, na Califórnia.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes