Assalto em Cametá: o que se sabe do roubo no Pará

Assaltantes fazem moradores de refém e usam como escudo humano para barrar as ações policiais. O assalto tem semelhanças com o ocorrido em Santa Catarina.

Um dia após os assaltos a bancos na cidade de Criciúma (SC), assaltantes fizeram ataques semelhantes em um município no interior do estado do Pará, Cametá, que fica a 235km da capital Belém. Criminosos usaram reféns de escudo humano e atacaram um quartel da Polícia Militar. Nenhum suspeito foi preso até momento e há uma morte registrada.

O que aconteceu em Cametá?

Na madrugada do dia 2, cerca de 50 criminosos assaltaram uma agência do Banco do Brasil na cidade de Cametá. A ação começou por volta de meia noite e durou cerca de uma hora e meia. Os assaltantes usavam armas de alto calibre e explosivos. Moradores do local foram feitos reféns, a maioria deles estava em uma praça assistindo a um jogo de futebol quando foram pegos. Os criminosos fizeram os reféns de escudo humano para barrar a polícia e atacaram uma base do 9° batalhão da PM. Após a operação, os bandidos fugiram em carros e barcos, segundo informações da polícia. A cidade fica às margens do Rio Tocantins. Ainda não há informações se alguém foi detido, também não se sabe o quanto foi roubado. Uma caminhonete com explosivos foi apreendida no km 15 da estrada que liga Cametá a Tucurí, segundo informações do governo. Contudo, no meio da ação, um dos reféns foi baleado e morreu.

A Polícia Federal está investigando se houve participação de membros da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

agência do Banco do Brasil destruída em Cametá
Agência do Banco do Brasil destruída em Cametá. (Foto: Reprodução)

O que diz o governador?

O governador Helder Barbalho (MDB) se pronunciou nas redes sociais e disse que está a caminho de Cametá para ajudar a resolver a situação.

“Já estou em contato com a cúpula da segurança pública do Estado acompanhando as providências que estão sendo tomadas neste episódio, no município de Cametá. Não mediremos esforços para que o quanto antes seja retomada a tranquilidade e os criminosos sejam presos. Minha total solidariedade ao povo cametaense”, escreveu governador.

Hoje (02) mais cedo postou um vídeo com a cúpula de segurança do estado afirmando que estavam seguindo rumo à cidade.

O prefeito da cidade, prefeito Waldoli Valente (PSC), também se manifestou por meio das redes sociais e afirmou confiar nas forças de segurança do estado para “retomar a paz e a segurança de Cametá e responsabilizar todos os envolvidos”. “Nossa cidade sempre foi pacífica e peço a todos que fiquem em suas casas. Rogamos ainda a Deus que conforte a família do jovem que perdeu a vida de forma covarde.”, escreveu.

Relatos de moradores de Cametá?

Nas redes sociais, moradores relataram a noite de terror vivida na cidade paraense, nos vídeos é possível ouvir tiros e explosões. Em algumas filmagens, é mostrado o momento em que os moradores foram feitos reféns também. Em um dos vídeos, inclusive, um dos reféns afirma, chorando, que os assaltantes agrediam a população. Confira alguns momentos abaixo.

Semelhanças com criciúma?

Com um dia diferença entre os atos, os assaltos em Cametá e Criciúma vem sendo comparados, por conta das semelhanças. Em ambos, assaltantes roubaram agências do Banco do Brasil, usando armas de alto calibre e explosivo. Além de fazerem moradores de refém, como escudo humano para se proteger da polícia militar. Nas duas cidades, os criminosos fugiram e não se sabe se alguém foi detido ou quanto levado. Ambos fizeram ataques aos quarteis da PM também.

Contudo, só houve uma morte registrada na cidade de Cametá, no Pará. Embora as semelhanças existam, as autoridades afirmam que não se pode dizer se o mesmo grupo comandou os dois assaltos. Portanto, podem ser ações distintas e sem ligação entre si.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes