Auxílio-doença para desempregado? Veja se tem direito

Em caso de necessidade, mesmo estando desempregado é possível receber o auxílio-doença, mas isso só é válido em algumas situações, entenda quais são elas.

Em caso de necessidade, mesmo estando desempregado é possível receber o auxílio-doença, mas isso só é válido em algumas situações, entenda quais são elas.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) 13,1 milhões de brasileiros estão desempregados atualmente. E com a perda de um emprego ou renda, o cidadão deixa de pagar para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Contudo, ainda é possível receber o auxílio-doença dentro de um tempo sem contribuir, é o chamado período de graça.

Nesse sentido, todos que contribuem mensalmente para Previdência Social são caracterizados como “segurados”. Sejam eles empregados, trabalhadores avulsos, empregados domésticos, contribuintes individuais, segurados especiais e facultativos. Então a “qualidade de segurado” se mantém em algumas condições.

Sendo assim, quem está recebendo o auxílio-doença tem garantido mais 12 meses do período de graça, contando a partir do fim do benefício. Esse um ano também vale para os trabalhadores no geral, calculado a partir do último recolhimento realizado pelo INSS.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A saber, não há limite de prazo enquanto a pessoa estiver recebendo o valor por incapacidade. No caso dos segurados facultativos, o prazo do período de graça é de até seis meses. E para quem incorpora-se às forças armadas, três meses.

Ademais, há a prorrogação desse prazo em mais 12 meses – totalizando dois anos – caso segurado tenha mais de 120 contribuições.  O mesmo vale para quem tem registro no Sistema Nacional de Emprego (SINE) ou tenha recebido seguro-desemprego.

Como solicitar auxílio-doença

Para solicitar o auxílio-doença, para desempregados e no geral, é preciso que o trabalhador tenha contribuído no mínimo 12 meses, exceto em casos de doenças profissionais e acidentes. A saber, ele se trata de benefício por incapacidade pago pelo INSS, caso se comprove em perícia médica impossibilidade de trabalhar temporariamente por conta de acometimento de doença ou acidente.

Então, o primeiro passo é agendar uma perícia médica. O que pode ser feito pela internet, acessando a plataforma “Meu INSS”. Depois de efetuar o login ou cadastro, clicar em “Agende sua Perícia”, em seguida em “Agendar Novo”. Com a data marcada, basta comparecer à unidade do INSS escolhida, ou ainda aguardar a perícia médica domiciliar ou hospitalar.

Feito isso, pode-se acompanhar o andamento da solicitação e resultado da perícia na mesma plataforma citada, por meio da opção “Resultado de Requerimento/Benefício por Incapacidade”.

Antecipação do auxílio-doença

Em 29 de setembro a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia e o INSS publicaram portaria no Diário Oficial da União que permite que os segurados do INSS de qualquer lugar do país possam pedir antecipação do auxílio-doença. Antes, isso só era possível para quem morava a mais de 70 quilômetros de unidade com perícia médica.

Essa antecipação está valendo desde o início da pandemia do novo coronavírus. Na prática, o trabalhador recebe até um salário mínimo mesmo sem ter o benefício aprovado. Por fim, pode-se fazer essa opção no momento do requerimento.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes