Gonzalo Vecina, fundador da Anvisa, crítica médicos que são cloroquina

O fundador da Anvisa, Gonzalo Vecina, que também é médico, participou do Jornal da Cultura, e trecho que fala sobre isolamento social viralizou nas redes sociais

O fundador da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa,  Gonzalo Vecina que também é médico sanitarista, durante entrevista ao Jornal da Cultura na quarta-feira (06), deu uma declaração polêmica sobre a condução do coronavírus no Brasil. Ao declarar ‘tem muito médico burro, que ainda dá cloroquina’, Gonzalo viralizou nas redes sociais.

Gonzalo Vecina no Jornal da Cultura

A resposta foi dada à apresentadora Ana Paula Couto, quando o questionou se havia ou não um consenso entre os médicos. “Na minha área tem muito médico burro, que ainda dá cloroquina”, respondeu Gonzalo Vecina, arrancando a risada da apresentadora e da outra convidada, a jornalista Patrícia Campos Melo, da Folha de S. Paulo. “É um consenso entre os médicos inteligentes”, completou.

Logo após o clima de descontração, a apresentadora voltou a perguntar aos convidados sobre o aumento de casos com a taxa de isolamento social em queda versus economia do país. Gonzalo Vecina disse que se o Brasil não seguir o exemplo da Europa, com lockdown, a chance de diminuir o número de casos não cessará. “Isso (isolamento social) terá consequências econômicas? Terá. Mas salvará vidas que vão tocar a economia no momento seguinte”, disse.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Nesta semana, após a repercussão da notícia de que a vacina contra a Covid-19 seria disponibilizada na rede particular, o ex-diretor da Anvisa deu uma declaração à jornalista Cláudia Colucci, da Folha de S. Paulo, que também chamou a atenção dos brasileiros. Gonzalo Vecina disse que “é uma imoralidade as pessoas que têm dinheiro terem acesso à vacina antes das pessoas que não têm dinheiro numa sociedade tão desigual como a nossa”.

Veja a edição completa da edição desta quarta-feira (06 de janeiro) do Jornal da Cultura com a participação de Gonzalo Vecina:

Coronavac no Brasil tem eficácia de 78%, aponta estudo

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes