Caso Robinho: gravações, repercussão nas redes e perda de patrocínios

As gravações do caso Robinho trazem trechos como “A mulher estava completamente bêbada”; situação é comentada em todo o País e Santos pode perder verbas

0 237

 

O crime de violência sexual pelo qual o jogador Robinho e um amigo foram condenados em primeira instância a nove anos de prisão na Itália, voltou à tona com a repatriação do atleta ao futebol brasileiro. Agora, gravações usadas no processo foram vazadas e mostram como se deu o caso.

Relembre o caso

Segundo a Justiça italiana, em 22 de janeiro de 2013, Robinho e outros cinco brasileiros estavam em uma boate na cidade de Milão, chamada Sio Café. Depois da noitada, foram acusados de cometerem violência sexual contra uma mulher albanesa.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Em 2014, durante interrogatório, Robinho negou a acusação. Ele chegou a afirmar que manteve relação sexual com a vítima, no que chamou de ‘relação consensual de sexo oral’ e sem a participação de mais ninguém.

Robinho e Ricardo Falco foram sentenciados em primeira instância, em novembro de 2017, a nove anos de prisão por violência sexual de grupo contra a jovem. No caso de Falco, a perícia identificou a presença de seu sêmen nas roupas dela.

A decisão do Tribunal de Milão ainda não é definitiva e foi contestada com recursos pelas defesas dos condenados. Os outros quatro envolvidos estão sendo julgados em um processo a parte por terem deixado a Itália.

A condenação tem como base o artigo “609 bis” do código penal italiano, que fala da participação de duas ou mais pessoas em ato de violência sexual, forçando a manter relações sexuais por sua condição de inferioridade.

Gravações telefônicas

Na sentença foram apresentadas as transcrições de várias gravações telefônicas feitas entre os acusados. A Justiça teve autorização para interceptar as chamadas.

Uma das conversas foi praticamente decisiva para a decisão do Tribunal. Trata-se da conversa entre Falco e Robinho sobre como estava o nível de consciência da vítima naquela noite.

Acompanhe um trecho:

Falco: – Ela se lembra da situação. Ela sabe que todos transaram com ela.

Robinho: – O (NOME DE UM AMIGO) tenho certeza que gozou dentro dela.

Falco: – Não acredito. Naquele dia ela não conseguia fazer nada, nem mesmo ficar em pé, ela estava realmente fora de si.

Robinho: – Sim.

A Justiça italiana diz que as escutas realizadas a partir de janeiro de 2014 são “auto acusatórias” e a sentença explica que as conversas são muito claras sobre o que houve naquele caso.

Repercussão

Agora, ao retornar para o Brasil para jogar pelo Santos, o caso volta à tona. E a situação pode trazer sérios prejuízos ao clube da baixada santista.

Segundo a revista Veja, sete patrocinadores do Santos se manifestaram contra a contratação de Robinho. E isso pode ser apenas o começo.

De acordo com a Placar, 16 patrocinadores podem deixar o clube e levar R$ 28 milhões anuais. Kicaldo, Kodilar, Tekbond, Grupo Foxlux, Unicesumar, Casa de Apostas e Philco já se manifestaram em relação ao caso.

A Orthopride, da área odontológica, já rompeu o contrato com o Santos antes mesmo da divulgação das transcrições.

Em nota, Kicaldo, Tekbond, Philco e Casa de Apostas afirmaram que retirarão o investimento se o clube não rescindir com Robinho.

A Brahma, da cervejaria Ambev, afirmou em nota oficial que o contrato de patrocínio com o Santos acabou em 1º de outubro de 2020 e que não será discutida renovação enquanto Robinho estiver no clube.

Famosos repercutem o caso

Celebridades também estão comentando o caso nas redes sociais. Walter Casagrande, ex-jogador e comentarista da TV Globo, foi além e disse que a sociedade tem que “parar de aceitar sacanagem como qualquer coisa normal”.

O apresentador Luciano Huck chegou a apagar uma foto que possuía em seu Instagram com Robinho.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes