CoronaVac: chega em SP 120 mil doses da vacina contra Covid-19

Ainda na fase de testes, governador do estado de SP, João Dória diz que espera autorização da Anvisa para aplicar CoronaVac nos milhões de voluntários

Chegou no comecinho da manhã desta quinta-feira (19) em São Paulo, as 120 mil primeiras doses da vacina contra Covid-19, CoronaVac, importada diretamente da China. Governador João Dória acompanhou a chegada dos lotes no Aeroporto Internacional de Guarulhos.

Vacina contra Covid-19

A vacina que foi desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, é uma das quatro candidatas contra o novo coronavírus no mundo e que estão em processo de testes no Brasil.

As 120 mil doses da CoronaVac fazem parte de um lote de 6 milhões previsto para chegar até o final de 2020. O governo de São Paulo firmou acordo para a compra de 46 milhões de doses, sendo que 6 milhões virão prontas da China, e as outras 40 milhões serão envasadas e rotuladas no Instituto Butantan a partir de material que também será importado.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Como Surgiu o Coronavírus?

Por medidas de segurança, as vacinas serão armazenadas em um local não divulgado pelo governo paulista.

vacina contra Covid-19
Governador João Dória foi pessoalmente receber a vacina CoronaVac no Aeroporto de Guarulhos (Foto: Governo de SP)

O Instituto Butantan deve receber a matéria prima para fabricar as 40 milhões de doses ainda neste ano. Segundo Dimas Covas, diretor-geral do Butantan, a chegada da vacina em solo nacional é de muita importância, uma vez que os testes clínicos da CoronaVac estão avançados. “É a primeira vacina que chega no país, isso é muito bom. O Brasil já tem sua vacina, e está aguardando os trâmites junto à Anvisa e junto ao Ministério da Saúde para poder iniciar o programa de vacinação”, ressaltou o diretor-presidente.

Ele disse ainda que o Instituto só está aguardando o registro da Anvisa para poder enviar os resultados da última fase de estudos que foi feita. “Pretendemos começar a produzir ainda neste ano, e esperamos que o programa de vacinação comece em meados de janeiro e no máximo até fevereiro”, finalizou Dimas Covas em entrevista ao Jornal da Globo na noite desta quarta-feira (18).

Vacina em teste

Ainda em fase de testes, a Sinovac, farmacêutica chinesa responsável pela CoronaVac, ainda não obteve o registro para aplicação do imunizante, que não pode ser utilizado na população.

Sobre este procedimento, o governador de São Paulo disse que aguardará autorização da Anvisa para poder colocar a vacina em circulação. “Quero esclarecer que nós seguimos e vamos continuar a seguir rigorosamente os protocolos da Anvisa para a aplicação da vacina. A vacina só será levada ao público às pessoas após autorização final da Anvisa”, disse Doria.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes